A roupa nova do rei – Marília Gerhardt de Oliveira

13 – CIÊNCIA E CULTURA

Marília Gerhardt de Oliveira

 “A ROUPA NOVA DO REI”

Todos os anos, na infância e na juventude, minha mãe me levava à Feira do Livro de Porto Alegre. Ela buscava (e recebia) doações para repor as perdas da Biblioteca do Grupo Escolar em que trabalhava em São Leopoldo, devastada a cada enchente do Rio dos Sinos. Eu conseguia comprar várias obras, nas caixas de ofertas, ricas em livros das mais variadas correntes literárias, com minha mesada.

Uma festa cultural! Um prazer em ler, ler, ler! Aprender mais, mais, mais!

Um aprendizado de Solidariedade que moldou meu caráter e procedimentos para toda a vida.

Na última eleição, milhões de eleitores brasileiros não optaram por nenhum dos dois candidatos, no segundo turno, o que, por si só, é bastante emblemático e significativo.

Mas, democraticamente, a maioria optou por um Messias, um Mito.

Sua Família e seus anexos, extasiados, pensaram que não precisariam assumir um tom elevado científica e culturalmente, que a envergadura do cargo exige. Optaram pelo sectarismo ideológico e religioso, pelo revisionismo ignorante da História e até mesmo pelo Terraplanismo.

“Arminha” para Cientistas, Professores Universitários, Ecologistas, Artistas e pessoas que se permitissem divergir com argumentos ponderáveis.

Insistem ser nosso Brasil (de todas e todos)a maior concentração convicta de “comunistas” do Planeta Terra.

Mas um vírus expôs a visão eugênica desta gente: o Covid-19.

Vida com qualidade e Economia, sim, são interdependentes.

Porém, administrando a Pandemia com planejamento estratégico, base científica e critérios como a Equipe do excelente jovem Governador Eduardo Leite (eleito democraticamente pelo povo gaúcho), minimiza-se perdas econômicas, pois se alivia a pressão no Sistema de Saúde, reduz-se a perda de valiosas vidas (todas) e a sociedade tende a retornar à normalidade laboral com maior brevidade.

Infelizmente, a Depressão Mundial pós Covid-19 está posta.

Neste cenário gravíssimo, assessorar-se de produtores e disseminadores deFake News só agrava o quadro e expõe ao ridículo mundial nosso amado Brasil.

Continuo a frequentar a Feira do Livro no Centro de Porto Alegre, anualmente.

Aproveito e passo pela Igreja do Rosário para assistir uma Santa Missa.

Mais recentemente, retomei vivamente as lembranças da minha infância.

Por quê será?

 Que roupa é esta Papai?

Eu não vejo nada não!

Para mim o Imperador…

Está mesmo é sem calção!

(“A ROUPA NOVA DO REI”)

Marília Gerhardt de Oliveira

gerhardtoliveira@gmail.com

Comentários

Comentários