Baleia conhecida há 27 anos volta a visitar o litoral gaúcho

Uma das baleias-franca fotografadas no último dia 15 de julho em Rainha do Mar já frequenta as águas gaúchas há bastante tempo.

O publicitário e fotógrafo Marcelo Langon fez esta descoberta ao compartilhar suas fotografias com a ONG Instituto Australis de Santa Catarina, mantenedora do Catálogo Brasileiro de Foto identificação da Baleia-Franca, que conta com baleias catalogadas desde 1987.

“Para a minha surpresa e alegria, a baleia que batizei de “Bah” já esteve 3 vezes no litoral gaúcho e sempre com um filhote novo!” – comenta Langon.

Na realidade, segundo informações do Instituto Australis, a “Bah” fotografada por Langon, já é conhecida desde 1994, quando foi registrada pela primeira vez no Balneário Rincão em Santa Catarina.

Na ocasião ela estava sozinha, recebeu o código B053 e assim entrou para o catálogo da ONG que hoje possui mais de 1.000 baleias.

Depois deste primeiro encontro, esta mesma baleia foi avistada mais 3 vezes no Rio Grande do Sul (2004, 2009 e 2020). Em 2004, apareceu com um filhote pelas praias de Tramandaí e Cidreira.

No ano de 2009, foi novamente fotografada com outro filhote em Torres. Finalmente em 2020, foi fotografada por Langon em Rainha do Mar com mais um novo filhote.

Segundo Karina Groch, Diretora de pesquisa do ProFRANCA/Instituto Australis, “como ela já era adulta quando registramos em 1994, a “Bah” deve ter pelo menos uns 33 anos, pois as baleias são consideradas adultas a partir do momento que atingem a maturidade sexual, que ocorre aos 6 anos de idade geralmente”.

Mas como ter tanta informação sobre uma única baleia?

É que cada baleia-franca possui calosidades na cabeça que formam padrões únicos para cada indivíduo e podem ser comparados com a impressão digital nos humanos.

Quando é feita uma fotografia aérea destes padrões, tanto o Instituto Australis quanto Langon conseguem reconhecer cada uma das baleias que visitam o sul do Brasil em sua migração anual.

Para saber mais sobre as baleias-franca, e como é a foto identificação dos indivíduos visite http://baleiafranca.org.br/a-baleia/fotoidentificacao

Marcelo Langon

Comentários

Comentários