Ciência e Cultura – Por Marília Gerhardt de Oliveira

A partir de hoje, a cada duas semanas, enviarei um texto para ser publicado no Litoralmania. Inicio esta tarefa com entusiasmo e responsabilidade por ser leitora de excelentes colunistas deste veículo on-line.

A GENIALIDADE DE LEONARDO DA VINCI E O FUTURO INCERTO

Após dias de árduo trabalho construindo ninhos, um grupo de pardais imaginou que suas vidas seriam bem mais fáceis se conseguissem a ajuda de uma coruja. Conjecturaram que ela poderia cuidar de mais novos e mais velhos, assim como ser muito útil no enfrentamento de gatos… Resolveram, então, procurar um ovo, um filhote ou uma coruja abandonada. Para terem sucesso, acreditaram poder domesticá-la e adestrá-la. Um pequeno grupo de pardais divergiu por considerar haver grave risco neste projeto ambicioso. Mas seus argumentos não foram considerados pela maioria dos pardais. E o futuro poderia vir a provar que os pardais mais prudentes estavam certos… (Fábula de Pardais)

Mary Schelley, em 1818, publicou “Frankenstein, o Prometeu moderno”. A criatura, construída com pedaços de cadáveres,era ciente de ser um monstro. O desejo de ter uma companheira de aparência similar, capaz de compreendê-lo e dividir a vida com ele, não foi atendido por seu criador. O embate entre criador e criatura representa a impossibilidade de seres humanos agirem como se Deus fossem, sem o grave risco de destruírem a espécie humana.

Posto isto, passemos a discorrer sobre um Gênio muito à frente de seu tempo: Leonardo da Vinci.

Como Cirurgiã-dentista, graduada na UFRGS e pós-graduada em Cirurgia e Estomatologia na PUCRS, além de formação em Bioética no Instituto Kennedy (USA) e na Universidade de Barcelona (Espanha), enfocarei, hoje, a relação pioneira de Leonardo da Vinci com a Odontologia.

Em 1482, ao se transferir de Florença para Milão, a Anatomia Humana era estudada principalmente por acadêmicos da área da Medicina. Mas, em pouco tempo, proeminentes Professores de Anatomia passaram a atuar como seus tutores, primeiro emprestando livros e, depois, ensinando a ele dissecação de cadáveres. Nos desenhos de crânios de Leonardo da Vinci estão representados os quatro tipos de dentes humanos, com a informação de serem 32 no total, incluindo os quatro sisos. Desta forma, foi o pioneiro na descrição detalhada de elementos dentárias humanos, incluindoilustrações quase perfeitas de suas raízes, em que os seis molares superiores possuem três raízes cada, duas do lado externo e uma do lado interno do maxilar, o que comprova que ele dissecou e cortou crânios humanos, expondo seios maxilares para determinar esta posição.

Como já não houvesse muito para honrar este Gênio da Humanidade, ele deveria ser celebrado como um pioneiro na área da Odontologia.

Na próxima quinzena pretendo enfocar outros aspectos da obra de Leonardo da Vinci, o que nos remete à fundamental importância de,para muito além de assimilar conhecimentos, termos a coragem de questioná-los, pesquisar, evoluir, com criatividade e competências técnica, científica e ética, distinguindo, assim, quem verdadeiramente pode construir um mundo mais fraterno, solidário e justo. Sem radicalismos que nos coloquem face a face com o obscurantismo indesejável se nosso objetivo for um futuro melhor.

Marília Gerhardt de Oliveira

gerhardtoliveira@gmail.com

Comentários

Comentários