Comando Ambiental apreende 10 toneladas de peixes, uma tartaruga e um golfinho mortos

O Comando Ambiental da Brigada Militar (BM) conseguiu desmantelar, neste final de semana, um esquema de pesca predatória praticado pelo menos desde 2017 na Praia do Mar Grosso, em São José do Norte.

Deflagrada neste sábado (22), a Operação Viola culminou na prisão de dois suspeitos e na apreensão de 10 toneladas de peixes da espécie cação viola, que está ameaçada de extinção, além de uma tartaruga marinha e um golfinho mortos, que morreram presos em redes de pesca.

A investigação apontou que o quilo do cação viola era vendido a R$ 45 para o consumidor final em Santa Catarina. Dessa forma, a carga apreendida é avaliada em mais de R$ 400 mil. Além da pesca ilegal, os criminosos ainda utilizam um córrego que deságua diretamente no mar e que recebe o esgoto de algumas casas da região para limpar os peixes.

Segundo as denúncias recebidas pela polícia, a pesca predatória era feita sempre em finais de semana e festas de fim de ano com objetivo de dificultar a fiscalização.

Conforme o patrulhamento ambiental, 2.134 unidades de peixes do tipo cação viola, que somam aproximadamente 10 toneladas, foram capturados. Parte deles ainda estavam vivos e, por isso, foram soltos no mar.

Duas peças da espécie Cação Viola, o Golfinho e a tartaruga marinha foram guardados para encaminhamento a Universidade Foi de Rio Grande (FURG) para laudo complementar e identificação exata das espécies.

A espécie Cação Viola está está incluída na Lista Vermelha de espécies ameaçadas de extinção, sendo que só se aproximam do litoral para o nascimento dos seus filhotes e cópula, ficando assim, vulneráveis, momento em que os pescadores predatórios aproveitam para fazer sua captura.

Para o sucesso da operação, destaca-se aqui, que todos os integrantes da PATRAM (Patrulha Ambiental da BM) encontravam-se folga, deixaram seus familiares e foram cumprir sua missão: a defesa de um meio ambiente para às presentes e futuras gerações!

 

Comentários

Comentários