Dopamina: conheça o neurotransmissor da motivação

Antes de mais nada, a dopamina é um neurotransmissor chave do cérebro que age sobre a motivação, a produtividade e concentração.

Muitas vezes, é chamada de “molécula da motivação”, pois ela ajuda a fornecer dinamismo, energia e concentração.

Por outro lado, um baixo nível de dopamina pode levar à falta de motivação, à fadiga, comportamentos de dependência (álcool, cigarro, etc.), mudanças de humor e perda de memória.

O que é

A dopamina é basicamente um neurotransmissor, ou seja, uma molécula bioquímica produzida pelos neurônios, onde essa rede de neurônios organiza a comunicação no sistema nervoso.

Então, é um mensageiro químico do cérebro através das células nervosas, estando no centro dos sistemas essenciais do cérebro, controlando os movimentos, as ações e a motivação.

É importante para o funcionamento do organismo e principalmente, de nossos hábitos. Isso porque vai ativar o sistema de recompensa/reforço.

Dopamina: conheça o neurotransmissor da motivação

Por exemplo, esse sistema é ativado quando se bebe água quando uma pessoa tem sede.

Mas não é somente isso: a pessoa ao querer sentir novamente a sensação de bem-estar, será motivado a reproduzir ações que são boas para sua vida.

Por sua vez, quando não funciona corretamente, pode levar à degeneração dos neurônios que a produzem, e consequentemente, gerando dificuldades de movimentos e muitos outros sintomas da doença de Parkinson.

Como funciona a motivação

O circuito nervoso associado à motivação está localizado na parte do cérebro ligada à aprendizagem e na motivação, onde um dos neurotransmissores que controla essa região é a dopamina.

Um estudo realizado pela biohigh.com.br mostrou que as moléculas bioquímicas desempenham um papel complexo e intervém em diversas funções importantes.

Como o comportamento, a cognição, as funções motoras, recompensas, motivação, sono ou memorização.

Além disso, a dopamina é precursora da adrenalina e noradrenalina, sendo fabricada no hipotálamo e nas glândulas suprarrenais.

A sua produção pode diminuir se:

  • Houver falta de sono;
  • Houver falta de luz;
  • A alimentação for rica em açúcar, produtos processados, gordura, cafeína e álcool.

Uma carência de dopamina pode acarretar desmotivação, fadiga, ansiedade, depressão, e em casos mais sérios, doenças neurológicas, como Parkinson e esquizofrenia.

Por que é o neurotransmissor da motivação

A dopamina é conhecida como “moléculas do prazer” ou um dos “hormônios da felicidade”, e tudo isso está relacionado à motivação.

Na verdade, não é considerada um hormônio, mas um neurotransmissor que desempenha muitas funções no cérebro.

Também faz parte do circuito da recompensa, isto é, estruturas do cérebro responsáveis pelo prazer.

Portanto, a taxa de dopamina aumenta quando alguém faz algo agradável (esporte, sexo, etc.) e ela dá também a vontade de recomeçar, onde a simples ideia de realizar uma ação que ativa o prazer, desencadeará a sua liberação.

É por isso que algumas pessoas recorrem a algumas drogas, como álcool, morfina, cocaína, por exemplo, pois estimulam a produção de dopamina, o que causa uma sensação de bem-estar físico e mental.

Enfim, ela é que dá sentido e a vontade de viver, responsável pelo bem-estar associado ao esporte, à alimentação, ao sexo, às relações sociais.

Como aumentar os níveis de dopamina

Para aumentar naturalmente os níveis de dopamina, é preciso focar em alimentos que possui a tirosina, aminoácido que participa na síntese do neurotransmissor.

Alimentos como leite, beterraba, nozes, ovos, tofu, carne, chocolate e cereais são alguns exemplos.

É claro que é importante também fazer exercícios, pegar bastante sol e ter uma boa higiene do sono.

No entanto, com a vida agitada e a correria do dia a dia, nem sempre é possível obter a dopamina naturalmente, sendo então indicado a suplementação.

Dopamina: conheça o neurotransmissor da motivação

Nesse sentido, um dos suplementos conhecidos por aumentar os níveis de dopamina é a Mucuna Pruriens, que é uma fonte natural de um aminoácido chamado L-Dopa, um precursor para a dopamina.

Suas principais propriedades são, além é claro de aumentar a motivação, melhorar o humor e ajudar no gerenciamento da depressão e ansiedade. Confira outros benefícios:

  • Antioxidante;
  • Anti-inflamatória;
  • Analgésica;
  • Diurética;
  • Afrodisíaca;
  • Hipoglicêmica;
  • Antimicrobiana;
  • Anabólica.

O mais importante aqui é que, ao manter níveis saudáveis de dopamina, isso se reflete não apenas na motivação, mas no bem-estar geral físico e mental.

Comentários

Comentários