E agora, quem irá me ajudar? – Por Renato Eduardo

Vivemos num tempo onde sempre estamos esperando pela hora certa, pelas condições adequadas para agirmos, e isso tem criado uma geração de preguiçosos e passivos diante dos desafios diários que nos são apresentados.

Conheço pessoas, e talvez você esteja neste grupo, que vivem adiando o início daquele tão sonhado projeto, que vivem dando desculpas para não entrarem em campo de fato, sempre se escondendo atrás de habilidades que ainda não desenvolveram, pensando que um dia, quando estiverem com as condições perfeitas, conseguirão enfim, apertar o botão que irá acionar os motores propulsores para os levar para o próximo nível.

O problema é que: Atitudes assim, criam um senso de dependência das pessoas, dos sistemas e do mundo em geral, pois ao invés de criarmos soluções, ficamos esperando por soluções de terceiros.

Mas é importante lembrarmos, que o mundo não nos deve nada, mas eu e você devemos ao mundo alguma coisa. Então paremos de sonhar e comecemos a fazer. Te convido a assumir total responsabilidade por sua vida – assuma o controle. É tarde demais para sentar e esperar por alguém que fará alguma coisa algum dia. Um dia é hoje; e esse alguém que o mundo precisa é VOCÊ.

Como alguém já falou, o cemitério é o lugar mais rico que existe, pois lá, existem fortunas que não foram feitas, livros que não foram escritos, quadros que não foram pintados, músicas que não foram compostas, famílias que não foram geradas e assim por diante. Que não seja este o seu e nem o meu caso, pois diferentemente do jargão do Chapolin Colorado, ninguém poderá te ajudar, a não ser, você mesmo!

Comece agora, daqui a um ano, você irá se arrepender de não ter iniciado hoje!

Te vejo no topo!

Renato Eduardo.

 

Comentários

Comentários