Em menos de um ano Projeto Surfar atende 20 crianças em Torres

O ano de 2015 foi marcado por fatalidades com os jovens da periferia de Torres no Rio Grande do Sul, onde mais de 20 jovens foram assassinados. Estes fatos foram apenas o passo inicial para a comunidade se sensibilizar fazendo com que plantasse uma semente, iniciando então o Projeto Surfar, onde em conjunto com a Associação de Surfe de Torres - AST, membros da comunidade e os alunos da Escola Municipal Zona Sul tiveram a oportunidade de conhecer o surfe.

Conforme o coordenador do projeto, Jonas Brocca, além de se entreterem em períodos que poderiam estar na rua, as crianças aprendam coisas além do surfe. “Durante um afogamento na praia, sem a presença dos salva-vidas, o nosso amigo surfista Iuri Silva foi auxiliado no salvamento por um dos alunos do projeto, de apenas 11 anos. Então tudo isso tem um significado maior, em vez de somente presenciarem amigos perderem vida, hoje eles salvam vidas”, relata.

Desde o início do projeto, os materiais utilizados para a prática foram doados, como pranchas, leash, roupas de borracha, etc. Agora, completando um ano em abril, todos os acessórios necessários para a prática do surf são disponibilizados para a garotada. Os participantes do projeto são em prioridades crianças e adolescentes com alto risco de vulnerabilidade social. Onde contam com aulas na beira-mar de Educação Física, Educação Ambiental, e as aulas práticas de Surfe.

Camila Brozowski

Comentários

Comentários