Empresário é preso em condomínio de luxo no Litoral Norte, acusado de ameaçar caminhoneiros

Um administrador de uma grande transportadora do Rio Grande do Sul foi preso, nesta quinta-feira, durante uma operação da Polícia Federal (PF) contra a prática de locaute em rodovias.

De acordo com a investigação, o detido teria ameaçado os caminhoneiros para não realizarem o transporte de cargas e teria ainda os obrigado a abandonarem os veículos em postos de combustíveis em rodovias.

O homem foi preso em um condomínio de luxo em Xangri-Lá.  A operação Unlocked cumpriu ainda três mandados de busca e apreensão em Vale Real e Caxias do Sul, onde foram apreendidos documentos e um revólver calobre .38. A ação mobilizou mais de 60 policiais militares e contou com o apoio da Brigada Militar (BM) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A investigação apontou que o crime teria ocorrido na ERS 122, ERS 452 e BR 116, na região dos municípios de Bom Princípio, Feliz e Vila Cristina. Esta é a primeira prisão por locaute ocorrida no Rio Grande do Sul, após a PF informar, no último dia 25, que investigaria o crime durante as manifestações dos caminhoneiros.

O administrador responderá por crimes contra a liberdade de trabalho – conforme o artigo 197 do inciso II do Código Penal – e por associação criminosa, de acordo com o artigo 288 do Código Penal.

As informações são do correio do Povo.

O que é locaute?

Locaute é caracterizado quando empresários de um setor contribuem, incentivam ou orientam a paralisação de seus empregados. Ou seja, é uma greve liderada pelos patrões, com o intento de obtenção de benefícios para o setor, o que é proibido por lei.

 

Comentários

Comentários