Escola sem partido – Suely Braga

Suely Braga

O principal objetivo deste projeto é acabar com a gestão democrática, com a liberdade, com a autonomia e o pensamento crítico nas escolas. É justamente por este motivo que o nome “Escola Sem Partido” é tendencioso. Acontece que a PL 867 de 2015 que proíbe práticas de doutrinação políticas e ideológicas dentro da sala de aula.

A tal Escola Sem partido ou “ Lei da Mordaça” Prevê que a educação nas escolas deve ser de acordo com a convicção e a moral dos pais. Ao mesmo tempo não querem escolas abordando questões de gênero. Isto vai de encontro aos princípios das famílias. A Escola Sem Partido quer impor uma versão conservadora, sem considerar as diferenças de pensamentos e ideias das crianças, adolescentes e jovens, que frequentam as escolas. Sem considerar as pluralidades existentes.

Cada um tem a sua maneira de interpretar os fatos e as situações diversas.

A mordaça, porém, impede o professor de se manifestar. Ao contrário poderá ser punido. A população poderá denunciar o professor que desrespeitar as regras da Escola Sem Partido. Para ajudar a população está disponível uma cartilha com todas as dicas do texto base para ser escrita a denúncia. Também deverão ser colocados cartazes nos espaços escolares, onde professores e alunos possam ler.

Fica evidente que o principal objetivo deste projeto é acabar com a gestão democrática, com a liberdade e com a possibilidade de ser desenvolvido nas escolas e Universidades o pensamento crítico, princípios fundamentais para a redução da desigualdade e para a democracia. Na verdade, busca manter a escola como um espaço de valores da classe dominante. É projeto que não se interessa pela péssima remuneração dos professores, pelas precárias estruturas das escolas. Não importa perceber que a escola é do Século XIX, os professores do século XX e os alunos do século XXI. O que está em jogo não é a educação, mas os conteúdos que devem ser abordados.

Tudo isto está acontecendo num país recentemente amargurado pelo autoritarismo, pela falta de democracia.

Tudo isso deve ser pensado e discutido. Esta discussão deve ter como propósito da execução do que determina a nossa Constituição Cidadã, no que prevê em seu 3º artigo.

1-Construir uma sociedade livre, justa e solidária.

2- Garantir o desenvolvimento Nacional.

3- Erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais.

4- Promover o bem de todos, sem preconceito de origem, de raça, sexo, cor, idade e qualquer outra forma de discriminação.

ISTO não é doutrinação, não é ideologia, isto é o que manda a Constituição da República Federal do Brasil. Isto é o que determina o Estado Democrático de Direito. Este é o dever de todos. Este é o esforço fundamental para construir um país socialmente justo, livre, pacífico e plural.

O RESTO É EMBUSTE.

Comentários

Comentários