Estabelecimentos são interditados em nova operação do Programa Segurança Alimentar

Nesta terça- feira, 06, sete estabelecimentos foram fiscalizados durante operação da Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar nos municípios de Tramandaí e Imbé, dois deles sofreram interdição, sendo que um foi totalmente interditado e o outro parcialmente. No total, foram recolhidas e inutilizadas cerca de duas toneladas de alimentos impróprios ao consumo.

Os estabelecimentos fiscalizados foram o Açougue Alexmar, a Deopesca Pescados, a Casa de Carnes Fronteirista, o Mercado Dia, e o Mercado Milanezi, em Tramandaí, esse último com interdição parcial (padaria). Em Imbé, a equipe da FT vistoriou o Restaurante e Peixaria Cardoso e uma fábrica de gelo e sucos clandestina, essa última, totalmente interditada.

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério Público, alguns dos problemas encontrados durante a ação foram: alimentos fora da temperatura adequada e sem procedência, embalagens estragadas, com teias de aranha e rasgadas. Produtos fora do prazo de validade também foram identificados pelos agentes da FT. Em alguns estabelecimentos havia frutas podres, com moscas e até baratas circulando, além de diversos problemas de infraestrutura e falta de higiene.

Para Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, a continuidade do trabalho da FT é fundamental para que os comerciantes adquiram a cultura da fiscalização. O promotor também ressaltou que os problemas detectados atualmente são menores do que os encontrados no início dos trabalhos da FT, há cerca de dois anos.

Participaram da operação a coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor e da Ordem Econômica, Caroline Vaz, o coordenador do Grupo de Atuação especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO – Segurança Alimentar) Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, o promotor de Justiça de Tramandaí Fernando Bittencourt, o promotor de Justiça de Canoas Felipe Teixeira Neto, representantes da Delegacia do Consumidor da Polícia Civil, das Vigilâncias Sanitárias Municipais de Imbé e Tramandaí, Vigilância Sanitária Estadual, Secretaria Estadual de Agricultura, Patram e Procon.

MP RS

Comentários

Comentários