Eu vos darei a paz – Dom Jaime Pedro Kohl

Nestas semanas que antecedem o Natal vivemos um tempo de feliz espera d’Aquele que vem nos trazer a paz. O Advento tem essa característica como que de antecipar o ‘acontecimento’, criando aquela expectativa positiva de algo bom que vai acontecer ou que já aconteceu, mas que possibilita pelo memorial reviver sentimentos e significados.

Advento, tempo de prepararo coração e a comunidade para o Natal, ótima ocasião para nos educarmos para a paz, esperança e solidariedade.

O nosso tempo é marcado por mudanças aceleradas e profundas que afetam nosso jeito de ser, pensar e agir. A correria do dia-a-dia nos impede, muitas vezes, de viver com harmonia, tranquilidade e paz. Santo Agostinho diz que: “a paz depende da comunhão com Deus, consigo mesmo e com o próximo.”.

No entanto, convivemossempre mais com um mundo de ódio e violência, mas não por isso deixamos de sonhar com um mundo de paz e amor. Acreditamos na promessa de Jesus: “Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é a maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe e nem se atemorize o vosso coração” (Jo 14, 27).

Essa promessa de Jesus é fundamental para nós e nela encontramos a força para não desistirmos diante das dificuldades que a realização deste sonho possa encontrar. Se é Ele que nos dá a paz precisamos ir a Ele e deixar-nos encontrar por Ele: Jesus! Lembremos aquele outro seu convite: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e sede discípulos meus, porque eu sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vós. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11, 28-30).

Jesus deseja que todos encontrem descanso e paz. Interessante que não são os sábios e entendidos que a encontram, mas os pequeninos e humildes. Em Jesus está o descanso e a paz. Somente Ele que saiu do Pai tem o poder de nos dar a paz: “Eu vos darei a paz!”. Sabemos que Ele costuma ser fiel à promessa.

O papa Francisco traduz muito bem tudo isso quando diz: “Precisamos procurar ativamente a paz. Estamos vivendo uma época de muitas guerras. A guerra destrói! O clamor pela paz tem que ser gritado. A paz, às vezes, dá a ideia de quietude, mas nunca é quietude, é sempre uma paz ativa.”. Senhor, dai-nos a vossa paz!

Dom Jaime Pedro Kohl - Bispo de Osório

Para refletir:

1) A paz é uma construção coletiva e diária. O que você pode fazer nestes dias para construir a paz?

2) O que você promete a Jesus como gesto concreto em preparação ao Santo Natal?

Textos sugeridos:

Mt 11, 25-30 ou Jo 14, 22-29

Comentários

Comentários