Falha no abastecimento de vacinas e soros pelo Ministério da Saúde atinge Torres

O atendimento da Sala de Vacinas nas Unidades de Saúde de Torres está prejudicado há cerca de 15 dias. De acordo com os técnicos da Vigilância Epidemiológica, o Ministério da Saúde divulgou em nota informações sobre a situação da distribuição de imunobiológicos – vacinas e soros- na rotina do mês de agosto. Conforme a Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), a Vacina Meningocócica C encontra-se em esquema de envio reduzido e a Vacina Tríplice Viral em envio pendente.

No caso da Vacina Meningocócica C, após novas entregas foi distribuído o quantitativo correspondente a 72% da cota mensal estadual. Um estoque estratégico está sendo mantido para atendimento de demandas emergenciais. Em relação a Tríplice Viral a previsão é que a distribuição ocorra na segunda quinzena de agosto, a depender do cumprimento do cronograma de entregas pelo laboratório produtor.

Referente aos soros, a produção pelos laboratórios e distribuição está sendo realizada de forma parcial. Os soros antivenenos são distribuídos conforme análise criteriosa realizada pela Unidade Técnica de Vigilância de Zoonoses do Ministério da Saúde. Considera a situação epidemiológica dos acidentes por animais peçonhentos, as ampolas utilizadas em cada estado, bem como os estoques nacional e estaduais de imunobiológicos disponíveis e, também, o cronograma de entregas a serem realizadas pelos produtores.

A produção tem sido realizada de forma parcial, devido à suspensão da fabricação por parte da Fundação responsável, além de reprogramações dos cronogramas de entregas previstos nos contratos vigentes junta a laboratórios, o que impacta na distribuição. A chegada dos produtos aos estados dependerá da disponibilidade dos voos, a serem agendados ao longo do mês corrente pela Central de Armazenagem e Distribuição de Insumos Estratégicos (Cenadi).

Comentários

Comentários