Família de Osório cai em golpe do visto dos EUA

A Polícia Civil deflagrou nesta terça-feira (05), a Operação VISA, na repressão a fraudes contra vítimas que buscavam emissão de visto de entrada nos Estados Unidos da América.

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, por meio da Divisão Judiciária e de Operações (DJO), em Porto Alegre, na investigação dos crimes de estelionato, apropriação indébita, falsa identidade e falsificação de documentos. O suspeito, contra o qual existe mandado de prisão preventiva expedido, não foi encontrado, estando na condição de foragido. Durante a ação, diversos documentos e passaportes foram apreendidos no escritório de assessoria para concessão de vistos.

Segundo o delegado Marco Antônio Duarte de Souza, as investigações tiveram início após informações repassadas pelo Consulado Americano de Porto Alegre para a Polícia Civil Gaúcha. “Pessoas que tinham interesse em obter o visto americano buscavam auxílio com o suspeito, diretamente, ou por meio de sua empresa. O homem cobraria o valor para assessorar as vítimas na emissão de visto americano, preenchendo o formulário, realizando o pagamento da taxa consular e agendamento da entrevista. No momento da entrevista, as vítimas percebiam que haviam sido lesadas, eis que não existia o agendamento nem as taxas haviam sido pagas”, contou Marco.

A partir destas informações a Polícia Civil instaurou inquérito policial para apurar os fatos e reunir elementos indiciários que levou à empresa e ao homem investigado. “O despachante, além de apropriar-se do dinheiro das vítimas, também é suspeito de falsificar e usar documentos falsos do consulado”, explicou o delegado.

A Polícia Civil ressalta ainda que o empresário é suspeito de se passar por funcionário do Consulado Americano para angariar vantagens indevidas. “Até o momento, restaram confirmadas 19 vítimas da ação do criminoso e um prejuízo superior a 20mil Reais”, acrescentou Marco. A documentação apreendida será analisada a fim de identificar possíveis novas vítimas e comparsas do crime.

Entre as pessoas lesadas, está uma família de Osório, que perdeu R$ 2,5 mil. Com destino à Disney, o pai, a mãe e o casal de filhos — de seis e 10 anos, utilizaram os serviços do acusado e acabaram caindo no golpe.

Ao notarem a fraude, contrataram uma nova empresa que realizou o serviço. A viagem ocorreu em fevereiro deste ano, como esperado.

Comentários

Comentários