Festa Nacional do Peixe de Tramandaí deverá ocorrer entre os meses de setembro e outubro

Secretário de Turismo e Desporto, Júnior Sessim.

Tradicionalmente ocorrendo entre os meses de junho e julho, a Festa Nacional do Peixe trocará de data em 2017.

Na vistoria realizada pelos órgãos competentes ficou constatada a insalubridade do local onde é realizada a festa. Ninhos e fezes de pombos foram alguns dos problemas encontrados, dentre outras irregularidades, impossibilitando assim, a utilização do Pavilhão Gastronômico para a realização da 28ª edição do evento nos dias previstos, motivo pelo qual levou o executivo a adiar a data.

O secretário de Turismo e Desporto, Júnior Sessim, declarou que recebeu uma intimação para comparecer junto ao Ministério Público de Tramandaí, nesta quinta-feira (25), às 11h, para tratar da de assuntos referentes à realização da festa, bem como da questão relativa ao inquérito civil acerca das irregularidades nas condições higiênico-sanitárias, nos estabelecimentos que serviram alimentos na edição anterior.

O secretário informou ainda que já está aberto o edital de habilitação para as empresas que estiverem interessadas em participarem do certame para a reforma e adequações previstas pelo MP, no pavilhão Gastronômico do Centro Municipal de Eventos. Segundo Sessim, devido à crise financeira que assola o município, estado e país, a participação de algumas empresas privadas serão necessárias. Finalizou afirmando que a festa deverá ocorrer entre os meses de setembro e outubro deste ano.

Veja alguns problemas encontrados no pavilhão da gastronomia. O local compreende 28 restaurantes e mais a parte das assadeiras das tainhas:

  • – Acabamentos da pia onde são higienizados os peixes apresentou azulejos faltantes, acumulando sujeiras e impedindo à higienização adequada;
  • – Utilização de tábua para escamar peixes; material este que absorve resíduos de difícil higienização facilmente desenvolvendo fungos;
  • – Irregularidades nas mesas de higienização e cortes apresentam frestas e falta de acabamento facilitando o acúmulo de alimentos de difícil remoção, possibilitando desenvolvimento de bactérias e fungos;
  • – Mesas em madeira sem acabamento impermeável;
  • – Churrasqueiras sem acabamento na parte superior ficando expostos os tijolos, impossibilitando assim limpeza adequada;
  • – No local também foi constatado que não há pia com água corrente para higienização adequada;
  • – Piso sem revestimento impermeável;

Comentários

Comentários