A Gerência Regional da CEEE no Litoral Norte registrou, este ano, o furto de 186 mil metros de condutores, o que equivale a 44 toneladas de cabos de cobre, com um prejuízo de R$1,8 milhão.

Só na primeira quinzena de outubro, foram registrados três casos de furto de condutores às margens da Estrada do Mar, totalizando 700m de condutores do alimentador 01 da Subestação de Atlântida Sul, o que provocou interrupção de energia para mais de 5000 clientes na região de Xangri-Lá.

Após um período de quedas sucessivas nas ocorrências de furto, esse tipo de ocorrência voltou a crescer em 2018, atingindo a marca histórica de 128 mil metros de cabos furtados, quatro vezes mais do que em 2017.

Com o aumento das ocorrências, o gerente Regional José Antônio Correa de Andrade e o assistente Alisson Azevedo da Luz buscaram apoio junto aos órgãos de segurança pública, Polícia Civil e Brigada Militar, além do DAER e Prefeitura de Xangri-lá, a fim de traçar um plano de ações para repressão deste tipo de crime na Região.

Foram realizadas reuniões com o delegado Regional da Policia Civil, Heraldo Chaves Guerreiro, o comandante do 8º Batalhão da Brigada Militar, Marcel Vieira Nery e com o secretário de Administração de Xangri-Lá, Anilton de Aquino Junior para alinhamento das ações que serão desenvolvidas em conjunto.

A Regional realizado substituição de condutores de cobre por multiplexados de alumínio com neutro isolado (alternativa de menor valor comercial).

O investimento alcança R$ 17,8 milhões com obras em 221 circuitos de distribuição executadas entre 2012 e 2017. Em 2018, somente nos municípios de Tramandaí e Imbé os investimentos superaram R$ 1,5 milhão em 62 obras de melhorias efetuadas.

Para 2019, os custos estimados com as reposições de redes de média tensão e baixa tensão por ocasião dos furtos poderá ultrapassar R$ 2 milhões.

Comentários

Comentários