Furto de celular domina ocorrências policiais no Planeta Atlântida, diz Polícia Civil

A Polícia Civil, por meio do Departamento de Polícia do Interior (DPI), do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) e do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), realizou durante a sexta (02) e sábado (03) a Operação Planeta Atlântida 2018 na cidade de Xangri-Lá.

Durante os dois dias do evento, mais de 120 policiais civis realizaram atividades educativas e repressivas dentro e fora do evento, ocorrido na praia de Atlântida. Ao todo, foram realizados 105 registros de ocorrências, duas prisões em flagrante por tráfico de drogas realizadas pela Polícia Civil e uma prisão em ação conjunta com a Brigada Militar por receptação.

Segundo o delegado Roland Short, a Polícia Civil montou um posto policial na entrada do Planeta Atlântida para atender as ocorrências do evento.

No primeiro dia foram registradas 60 ocorrências policiais. Um telefone celular furtado foi recuperado em ação conjunta da Polícia Civil com a Brigada Militar, resultando na prisão em flagrante do suspeito.

“Diante do pronto emprego dos policiais civis e militares, foi possível recuperar rapidamente o celular da vítima e prender o suspeito em flagrante pelo crime de receptação”, conta Short.

No segundo dia do evento, 45 ocorrências foram registradas. “O furto de telefone celular teve maior incidência, contando com mais de 60 registros. Também houve registro pelos crimes de estelionatos por venda de ingresso falso, perda de documentos, posse de drogas, entre outros”, complementa o delegado.

Policiais do Denarc realizaram atividades repressivas nos dois dias do Planeta, dentro e fora do evento. Conforme o delegado Maurício Barison, a ação visa o combate ao tráfico de entorpecentes, principalmente para jovens. No primeiro dia do evento dois homens foram autuados em flagrante por tráfico. “Com um deles foi apreendida porções de maconha e com outro suspeito foram apreendidos comprimidos de ecstasy, que possivelmente seriam vendidos e/ou consumidos no evento”, conta o delegado.

A Polícia Civil também realizou atividades educativas e fiscalizatórias por meio do Deca. Segundo a delegada Sonia Dall’Igna diversos estabelecimentos comerciais situados no entorno do Planeta Atlântida, foram fiscalizados e notificados sobre o crime de vender e fornecer bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes. “Os proprietários foram notificados e cartazes informativos foram afixados na entrada dos estabelecimentos advertindo sobre o crime”, conta a delegada.

Participaram durante os dois dias do evento 124 policiais civis, divididos em dois turnos cada dia, das 17h às 6h.

Comentários

Comentários