Insetos dentro de embalagens e até baratas nas prateleiras: ação do MP fiscalizou estabelecimentos em Torres

A coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor e da Ordem Econômica, Caroline Vaz, participou, nesta segunda-feira, 11, em Torres, do início oficial das operações da Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar no Litoral Norte. Cinco estabelecimentos foram fiscalizados e multados durante a ação. Seus nomes não foram divulgados pelo Ministério Público.

“A intenção é visitar os estabelecimentos comerciais, restaurantes, bares, supermercados, tendas, quiosques, padarias, enfim, todos aqueles estabelecimentos que forneçam alimentos para os consumidores, orientando sobre as regras sanitárias, agropecuárias e todas aquelas que interessam a saúde e a vida dos consumidores, já atuando de forma integrada aos demais órgãos de fiscalização”, explicou Caroline Vaz.

No total, foram inutilizados cerca de 750 quilos de alimentos impróprios ao consumo, com prazo de validade vencido, armazenados de forma irregular, embutidos fora da temperatura adequada, balcões com problemas de refrigeração, carnes, iogurtes e bebidas lácteas sem condições de comercialização. Insetos dentro de embalagens de alimentos e baratas nas prateleiras, além de diversos problemas de infraestrutura e falta de higienização, foram encontrados pelos agentes.

O promotor de Justiça de Torres Vinícius de Melo Lima também acompanhou a ação. O coordenador do Grupo de Atuação especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Segurança Alimentar), Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, salientou que essa é apenas a primeira ação da Força-Tarefa no Litoral e que o trabalho se desenvolverá durante todo o verão, sempre visando garantir a qualidade dos produtos adquiridos pelos consumidores. “Este já é o nosso terceiro ano de operações e podemos perceber uma melhoria nas principais questões, com volumes inutilizados cada vez menores. É essa a nossa expectativa com esse trabalho permanente”, esclarece o coordenador do Gaeco – Segurança Alimentar.

OPERAÇÃO CONJUNTA

Também atuaram na operação em Torres representantes da Vigilância Sanitária Municipal, Vigilância Sanitária Estadual, Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Procon Estadual e Delegacia do Consumidor da Polícia Civil.

 

MP RS

 

Comentários

Comentários