Litoral Norte registra mais de 1000 queimaduras de águas-vivas

Mais de mil banhistas já tiveram uma dolorosa experiência neste início de verão.

Em apenas três dias, de sábado (21) a segunda-feira (23), 1050 pessoas sofreram queimaduras de águas-vivas no Litoral Norte.

O balanço é da Operação RS Verão Total 2020 do governo do Estado. No último veraneio, de dezembro de 2018 a março deste ano, o total de casos superou a impressionante marca dos 111 mil.

De olho na água-viva

– As substâncias liberadas por esses animais provocam irritações na pele, sensação de queimadura, dores e fisgadas. As reações variam conforme o indivíduo, podendo causar ardência e vermelhidão local, náuseas, vômitos, tonturas e desmaios.

– Não utilize água doce, urina, pasta de dente e substâncias sem orientação médica, pois elas estimulam a liberação de mais substâncias tóxicas.

– Não pise ou manipule animais encontrados na beira do mar; mesmo mortos, eles podem causar acidentes.

Contato com água-viva? Fique calmo!

– Lave o local com água do mar.

– Remova suavemente os tentáculos da pele utilizando pinça ou gelo sem esfregar o local.

– Tome banhos e faça compressas com vinagre e compressas frias com bolsa de gel.

– Procure auxílio de um salva-vidas e uma unidade de saúde.

– Evite movimentar a área afetada.

Comentários

Comentários