Lotes de medicamentos são suspensos pela Anvisa

A Anvisa suspendeu nesta segunda-feira (10/4) a comercialização do lote 38736 (Val 12/2017) do medicamento Atenolol comprimido de 25mg. O medicamento genérico era fabricado pela empresa Vitamedic Indústria Farmacêutica Ltda e o lote, agora, se encontra suspenso.

De acordo com laudo emitido pela Fundação Ezequiel Dias/FUNED, o lote do medicamento para hipertensão arterial 38736 apresentou resultado insatisfatório no ensaio de dissolução (valores de dissolução abaixo da especificação sanitária).

Assim, determinou-se que a empresa Vitapan promovesse o recolhimento do estoque existente no mercado, relativo ao lote do genérico.

Clorexidina suspensa

Outra medida sanitária também publicada no Diário Oficial da União (DOU) foi a suspensão do lote M22926 do medicamento Clorexidina da empresa Vic Pharma Indústria e Comércio Ltda. O lote de Gliconato de Clorexidina em questão foi, portanto, suspenso tanto na distribuição, comercialização quanto no uso.

Laudos de análises emitidos pelo Instituto Adolfo Lutz mostraram resultados insatisfatórios relacionados à contagem de bactérias. Deste modo, o que motivou a suspensão do lote de Clorexidina, solução tópica 1%, foi o limite não obedecido de bactérias aeróbias mesófilas.

A resolução RE 917/17 que suspende o lote M22926 do medicamento determina, também, que a empresa recolha as unidades relativas ao produto destacado.

Leia na íntegra as resoluções publicadas no Diário desta segunda-feira (10/04).

Amendoim da marca Paulista tem lote interditado

A Anvisa proibiu um lote do amendoim da marca Produtos Paulista. O alimento é fabricado pela GSA-Gam Sucos e Alimentos LTDA, localizada em Aparecida de Goiânia (GO). A proibição vale para o lote 10914 que tem validade até o dia 1º de maio deste ano.

O produto foi reprovado porque apresentou quantidades de aflatoxinas acima do limite tolerado pela lei. As aflatoxinas são monitoradas pela vigilância sanitária porque seu acúmulo no organismo, em níveis altos, pode levar ao aparecimento de câncer após alguns anos. A ingestão de aflatoxinas ao longo do tempo também pode causar problemas como cirrose hepática, necrose aguda, entre outros.

Aflatoxinas

As aflatoxinas são produzidas por fungos da espécie Aspergillus, presentes na cultura do amendoim e podem se desenvolver por falta de cuidados, especialmente no armazenamento e processamento do produto. A legislação brasileira define um limite máximo tolerado em quantidades que não prejudicam a saúde humana.

Os fungos que produzem as aflatoxinas também podem ser encontrados nas culturas de milho, sorgo, cevada, arroz, castanha e cereais em geral. Para garantir o respeito à norma, a vigilâncias sanitárias de todo o pais realizam análises em produtos como amendoim, paçocas e outros derivados. A proibição desta segunda-feira (10/4) foi motivada por uma análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal.

Mil Hervas ilegal

A Agência também proibiu todos os produtos da empresa Mil Hervas ou Sebastião Rocha de Souza ME. Foi identificada a comercialização do produto sem identificação do fabricante e com um número de CNPJ que teve baixa na Receita Federal em nome da empresa Mil Hervas/Sebastião Rocha de Souza ME (CNPJ 00.572.309/0001-56). Ou seja, os produtos desta marca são clandestinos e o local de fabricação é desconhecido.

Comentários

Comentários