Manifesto subscrito por operadores de direito contra a bandidolatria – sumário

Jayme José de Oliveira

MANIFESTO SINCERO AO POVO BRASILEIRO DE ALGUNS PROFISSIONAIS DO DIREITO REALMENTE PREOCUPADOS COM AS VÍTIMAS E A SEGURANÇA PÚBLICA.

“Nós, operadores do Direito realmente preocupados com a segurança pública, com o direito de ir e vir das pessoas, com a vida das pessoas de bem e não só dos bandidos, preocupados especialmente com as vítimas e não só com seus algozes…Você pensa que eles se preocupam com sua vida, mas criaram uma audiência que resultou no aumento daqueles casos em que o marginal perigoso é imediatamente solto e faz outras vítimas nos dias seguintes.

É O QUE ELES CHAMAM DE AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA…Você pensa que eles querem garantias para você, cidadão, mas eles só querem que não haja punições de verdade, só querem garantir criminosos… É O QUE ELES CHAMAM DE GARANTISMO, NO BRASIL TEM GERADO CADA VEZ MAIS IMPUNIDADE NA FORMA QUE O APLICAM…Enfim, você pensa que eles querem te proteger, mas QUASE TODAS AS MEDIDAS SÃO PARA PROTEGER CRIMINOSOS E GARANTIR IMPUNIDADE”.

“QUEM POUPA O LOBO SACRIFICA AS OVELHAS” (Victor Hugo).

Agrego textos explanados publicamente, um a favor do manifesto e outro contrário.

“Janot é a única herança do governo Dilma que perdura com a bênção geral e unânime da nação para que maneje o arco e faça mira na bandidagem, antes de sair, em setembro”. Temer recorreu ao Supremo Tribunal, pedindo para declarar Janot “suspeito por inimizade”, para levar adiante toda investigação que envolva o presidente da República. Lula fez o mesmo com Sérgio Moro.

Essa pretensão de adaptar o aparelho judicial às conveniências dos réus seria ridícula e proviesse de dois marginais do crime. Vinda de quem é ou foi chefe de Estado e de governo, como Temer e Lula, torna-se brutal e apavorante. Se ambos se julgam semideuses acima da lei, quanto horror praticaram ou praticam nas catacumbas do poder sem jamais vir à superfície?

Seria para isso que Temer recebeu a futura procuradora-geral no palácio presidencial às 10 horas da noite”? (Flávio Tavares, jornalista – Zero Hora, 12/08/2017)
“O MANIFESTO DOS PROMOTORES TEM A INTENÇÃO DE PRESSIONAR JUÍZES E JURADOS”.

“Há alguns anos em Munique, na Alemanha, sob o pretexto de tranquilizar a população ordeira e trabalhadora, surgiu o manifesto a favor da ordem e contra os dissidentes sociais. Nascia, ali, a semente de uma das ditaduras mais monstruosas que o mundo já conheceu e que atingiu, com rigor, todo o sistema de Justiça alemão. Esperamos estar muito longe desse tipo de justiça.

O manifesto dos promotores – de alguns, diga-se de passagem – tem a clara intenção de pressionar juízes e jurados a desconsiderar as causas sociais que levam muitas pessoas a praticar determinados crimes. Também se mostra extremamente nefasto quando adjetiva como “bandidolatras” (adoradores de bandidos) aqueles que lutam por uma justiça mais humana”. (Tatiana K. Boeira, defensora pública – Zero Hora, 12/08/2017)

OPINIÃO DO COLUNISTA:

Se atentarmos que para manter delinquentes fora das grades os cidadãos têm que se confinar atrás delas… alguma coisa não está correta.

Comparar os horrores do holocausto nazista (seis milhões de vítimas) com o regime a que são submetidos delinquentes que COMETERAM CRIMES… também não.

Justificar uma “justiça mais humana” – não condenar delinquentes – como consequência de desníveis sociais que levam muitas pessoas a COMETER CERTOS CRIMES é, no mínimo desconsiderar que a maioria dos cidadãos de baixa renda é constituída por cidadãos honestos.

O que são eles? Trouxas que trabalham quando poderiam “aproveitar as oportunidades” que seriam de pronto justificadas? HÁ ALGO MUITO ERRADO NESSE CONCEITO.

FATOS RECENTES E QUE NOS DEIXAM ESTARRECIDOS:

Mariza Iracema Cassol Jacques, 54 anos, foi morta com um tiro por bandidos que atacaram uma joalheria num shopping da av. Assis Brasil (03/12/2017). Câmeras de vídeo comprovam que o bando é o mesmo que esteve envolvido em outro assalto no hipermercado Big de Alvorada. A vítima estava angariando fundos para obras de caridade,como há anos procedia e liderava pelo menos 30 voluntários. Deixa marido, quatro filhos e três netos na saudade.

O advogado trabalhista Luiz Antônio Schmitt de Azevedo, 68 anos, foi esfaqueado às 8 horas da noite do dia 03/12/2017 na esquina da av. Independência com a rua Barros Cassal. Foi atingido por cinco facadas e hospitalizado em estado crítico.“Quem vive do crime é morte ou cadeia”, diz João Batista Neto, 23 anos, preso por matar o comerciante João Batista da Silva, 71 anos, no dia 25/11/2017.Criminosos atiram contra Fórum para matar juíza em Marau. Inspetor da Polícia Civil estava em audiência durante o tiroteio ocorrido no dia 12/12/2017, reagiu e capturou o trio autor do ataque na cidade do norte gaúcho.

“Houve época em que os facínoras eram tratados de acordo com os RIGORES DA LEI”. Este procedimento começou a ruir quando, na “defesa da vida” (somente dos bandidos, infelizmente) se passou a cercear as atividades policiais.Há que coibir abusos evidentemente. Mas há que punir criminosos. Em todos os estratos sociais.

A SOCIEDADE MERECE JUSTIÇA!

Na gestão, como Secretário de Segurança do governador Olívio Dutra, José Paulo Bisolafirmou à Folha de São Paulo (27/07/2000): “Se eu passasse por um estado de necessidade, roubaria. Se meus filhos precisarem de um remédio, vou assaltar uma farmácia”.

Foi patética a atuação do secretário (janeiro 2002) ao descer abraçado com o sequestrador dum micro-ônibus, João Sérgio dos Santos Pereira, após 27 horas de “negociações”. Declarou ter agido dessa maneira para proteger o meliante da ira popular. Causou repúdio aos cidadãos que abominam malfeitores.

É dele a determinação de que, ao abordar um meliante armado, o policial alerte em voz alta: “Entregue-se, estou arm…” é evidente que não completaria a frase, tombaria crivado de balas.

Jayme José de oliveira
cdjaymejo@gmail.com
cirurgião-dentista aposentado

Comentários

Comentários