Medo? – Marília Gerhardt de Oliveira

08 – CIÊNCIA E CULTURA

Marília Gerhardt de Oliveira

MEDO?

“Que nada nos defina.Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância”.

(Simone de Beauvoir)

Em 24 de dezembro de 2018, houve a primeira das quatro fraturas por stress (etiologia por osteoporose) que me afastaram do trabalho (depois de 36 anos). Quinze meses após, apoiada por minha tia materna de (86-87) anos de idade, por meu pai (82-83) anos de idade, por Médicos e Fisioterapeutas dedicados, estava finalmente sem muletas e com a perspectiva de retorno ao trabalho em 90 dias.

Em janeiro de 2020, as primeiras notícias da Epidemia (hoje Pandemia) de Coronavírus (COVID-19), na China, deram o primeiro sinal de ALERTA para quem quisesse enxergar. Estive, de dezembro de 2018 a março de 2019, assim como, de dezembro de 2019 a março de 2020, instalada confortavelmente no apartamento de Capão da Canoa (RS). O interregno passei no apartamento de Porto Alegre. Sempre em companhia de meu pai (diabético), que tem limitações de deslocamento, e de minha tia materna (que foi nossas pernas em todos estes meses).

Saí de casa apenas (e de muletas) para exames, consultas médicas e fisioterapia. Um agradecimento aos taxistas Amadeu (Porto Alegre) e Milton (Capão da Canoa), incansáveis e dedicados.

As perspectivas nada alentadoras, para os próximos 4 a 6 meses, no Brasil, fizeram-nos optar por ficar em Capão da Canoa até o final desta Crise Sanitária.

Agora, sem a tia materna andando pela cidade, entre compras e passeios, mas tornada nossa companheira na “internação domiciliar”, tele-entregas nos manterão, assim como o apoio inestimável de amigos de longa data e da Zeladoria do prédio.

15 meses (para mim) se tornarão 18 ou 21.Há que se ter disciplina, determinação, senso de realidade e fortaleza emocional.

Estou lendo o livro de número 53 da nossa biblioteca familiar. Obras de autores como Thomas Mann, Ken Follett, Virgínia Woolf, Agatha Christie, IsabelAllende, Jorge Amado, Érico Veríssimo, Juremir Machado da Silva, Chico Buarque de Holanda, entre outros.

“Mens sana in corpore sano”.

Importante RESPEITAR os que estão atendendopacientes (incluindo colegas de Universidades e Hospitais), minha família, vizinhos e, principalmente, desconhecidos que estejam adotando medidas preventivas (e que constróem, portanto, mérito para VIVER).

Depende de nós! Força e Fé!

“Realize um ato de bondade, sem expectativa de recompensa, com a certeza de que algum dia alguém fará o mesmo por ti”.

(Princesa DIANA de Gales)

Medo? Só do MAU EXEMPLO que vem de quem deveria liderar esta luta eque deveria primar por veracidade, estatura política e dignidade no cargo, sem medir patrioticamente as consequências trágicas de sua postura EQUIVOCADA.

Já EXEMPLOS MAGNÍFICOS como o do Papa Francisco, que sustou Missas com a presença de coletivos humanos, reiterando a onipresença de DEUS e considerando a comunicação de Sacerdotes com os fiéis com base na Tecnologia e nos Meios de Comunicação do Século XXI, deveriam vicejar entre os que, tragicamente, privilegiam a ignorância em detrimento da CIÊNCIA e da CULTURA.

Marília Gerhardt de Oliveira

gerhardtoliveira@gmail.com

Comentários

Comentários