Meus Haikais Transgressores – Sergio Agra

MEUS HAIKAIS TRANSGRESSORES

Uma querida amiga, turista incondicional, neste momento curte o presente que ela mesma se proporcionou pelos seus oitenta anos: revisita alguns países da União Europeia. Maria Aparecida, a Cida,é minha leitora habitual, por isso não foi sem razão que, em seu último e-mail, em face de meus atrevimentos ao invadir a poesia – no meu entender, dos gêneros literários, o mais fácil de ser MAL escrito.

Já perceberam que não apenas de louco e de médico nos pressupomos um pouco poetas? Pobre dela, a poesia, covardemente estuprada! Mas como diria nosso “salva-letras e enlevos”, Fernando Pessoa, “Tudo vale a pena, se a alma não for pequena!”. Então, em nome desta “licença” que nos é concedida, avante! Maltratemos as lusas letras se isso nos alivia o espírito!

Bem, mas falava eu do e-mail da Cida em que ela me perguntava em alusão ao antigo mote do Bombril, o que tem mil e uma utilidades, se eu era também um “1001”? Em tom de brincadeira, respondi-lhe, sim, quando jovem, as meninas batiam palmas e pediam bis! Mas estes eram outros verdes anos. Mas com o mesmo ritmo de brincadeira, decidi responder ao desafio de Cida, isto é, escrever alguns HaiKais sem, ao menos neste debut, lhes seguir os ditames, porque…

…O Haikaié um poema curto de origem japonesa. A palavra haicai é formada por dois termos “hai” (brincadeira, gracejo) e “kai” (harmonia, realização), ou seja, representa um poema humorístico.

Diante de um haikai o leitor que desconhece sua forma e suas regras de composição poderá achar muito fácil ou muito simples compor um. Por mais que a simplicidade seja uma das ferramentas do poema japonês, compor um haikai requer não só satisfazer as suas regras, mas também resgatar a vivência de seu autor, na qual estava o “momento do haikai”, e isso implica em adquirir experiência com a prática frequente.

O tradicional haicai japonês possui uma estrutura específica, ou seja, uma forma fixa composta de três versos (terceto) formados por 17 sílabas poéticas, ou seja:o primeiro verso: apresenta 5 sílabas poéticas (pentassílabo); o segundo verso: apresenta 7 sílabas poéticas (heptassílabo); e oterceiro verso: apresenta 5 sílabas poéticas (pentassílabo).

Embora essa seja sua estrutura tradicional, o haicai foi se modificando com o tempo, sendo que alguns escritores não seguem esse padrão de sílabas, ou seja, possui uma silabação livre geralmente com dois versos mais curtos e um mais longo,ou versos totalmente transgressores. Como são os meus!

“Brasil, ame-o ou deixe-o!” (1964/1984).

E, agora, por mais que isso me doa,

vou-me embora pra Lisboa!

Reles bataclã

nordestino, nele

hão de reinar o Collor e o Renan.

Na Papuda

os coiotes do Congresso

vão ter cama polpuda?

Deus ordenou: “Fiat Lux!”

Paulo Marinho contestou:

“Já tenho o Luiz Fux!”.

Chora envergonhada a pequena Diamantino

ao supor que a aética do filho cabotino

num reles michésonha travestir o Supremo.

Filhos? Sim, havemos de tê-los,

ainda que, desprevenidos,

arranquem-nos os cabelos.

Comentários

Comentários