A Promotoria de Justiça de Mostardas apresentou no último dia 28 denúncia contra oito pessoas pelas mortes de Bruna Jaqueline dos Santos Dutra, Guilherme Lemos Costa, José Antônio Colares Machado, Marcelo Marques da Silva, Sabrina Cardoso dos Reis e pela tentativa de assassinato de Emerson Pereira Chaves, Jaine Samia Miliano de Souza, Lisa Giovana Alves Jardim da Silva e Valter Alexandre Hansel, ocorridas em 10 de agosto deste ano em uma boate na praia da Solidão em Mostardas.

Cristiano Soares da Silva e Felipe Vieira, ambos já presos, e Douglas Pereira Braga, Eni da Rosa Oliveira, Fábio Lopes Centeno, Maition Sidri da Silva, Marcos Vinícius Santaiana e Misáel Rosa, integram um braço de uma facção criminosa já atuante no Estado.

Segundo o Ministério Público, dias antes de o crime ocorrer, o grupo passou a realizar a divisão de tarefas para a venda de drogas com o objetivo de manter o domínio de território, inclusive executando rivais e até mesmo pessoas sem vinculação com o tráfico.

Conforme a denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Camilo Vargas Santana, os homicídios foram triplamente qualificados: por motivo torpe – em razão do tráfico de drogas e pela disputa de domínio de território –, mediante emboscada e com uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas.

O CASO

No dia 10 de agosto deste ano, após o recebimento de ordem de Cristiano Silva e Felipe Vieira, que já estavam presos nas Penitenciárias de Osório e Charqueadas, respectivamente, o restante do grupo se reuniu em uma residência em Palmares do Sul para partir em direção à Boate Solidão, na praia da Solidão, em Mostardas, local onde o crime ocorreu.

O denunciado Douglas Braga, acompanhado de um adolescente, foi até a boate para acompanhar a movimentação de frequentadores e, inclusive, conversou com algumas das vítimas.

Mais tarde, por volta de 01h30 da manhã, outros integrantes do grupo chegaram ao local vestindo roupas pretas e encapuzados e entraram nas dependências da boate, exigindo que os frequentadores e funcionários do local se deitassem no chão.

Em seguida, passaram a efetuar disparos em direção às vítimas.

Do lado de fora da boate, estava o denunciado Eni Oliveira em um carro aguardando os demais para garantir a fuga de todos do local.

Durante o percurso de fuga, Eni também efetuou disparos em direção às vítimas.

Antes de sair da boate, os denunciados roubaram o celular de uma das vítimas e diversas bebidas e pacotes de cigarros que eram comercializados no estabelecimento.

MP RS

Comentários

Comentários