Mulher executada no Litoral levava R$ 10 mil em drogas, diz polícia

A motorista de aplicativo morta por estrangulamento no início de julho em Mostardas levava R$ 10 mil em drogas e uma quantia em dinheiro no dia em que foi assassinada.

Segundo a Polícia Civil, Isabel Lazzarin Gonsalves, 29 anos, foi vítima de latrocínio (roubo com morte), crime que havia sido inicialmente descartado.

O delegado André Roese, responsável pela investigação, acredita que os autores mataram a vítima para levar a droga e o dinheiro. A quantia não foi divulgada. A suspeita é de que eles sabiam que o material estava com a motorista. O carro da vítima, um Gol, foi encontrado com o banco queimado e dentro do veículo havia um pino com cocaína.

Isabel estava envolvida com o tráfico de drogas e, segundo a polícia, era uma das principais fornecedoras de uma facção criminosa para a região de Mostardas. Ela morava em Gravataí e não estava trabalhando para o aplicativo no dia do crime. A última corrida feita pela vítima havia sido na manhã do dia anterior à localização do corpo.

As informações são de Zero Hora.

Comentários

Comentários