Municípios do Litoral aderem a programa que qualifica acesso à saúde

Todos os municípios da 18ª Coordenadoria Regional de Saúde, no Litoral, agora integram a Planificação da Atenção à Saúde. O programa é uma das principais estratégias da Secretaria da Saúde (SES) para melhorar o acesso da população aos serviços, agregando maior qualidade e resolutividade. A cerimônia ocorreu nesta terça-feira (12), no Centro Universitário Cenecista, em Osório.

O projeto organiza os processo de trabalho baseado nas definições de fluxos na Rede de Atenção à Saúde e em pactuações para melhores resultados. "A escolha do Litoral como segunda experiência da planificação no estado, depois de Santa Maria, constitui-se em desafio, especialmente pela sazonalidade e aumento populacional no verão", afirmou o secretário João Gabbardo dos Reis.

Segundo ele, este será o início de um processo para reorganizar o cuidado à saúde dos cidadãos e implementar medidas de intervenção e qualificação dos serviços a partir da atenção primária e, de forma racional, integrá-la à rede ambulatorial de atenção especializada. "Aproveito para parabenizar a totalidade dos 23 municípios do Litoral que abraçaram este desafio", acrescentou.

Durante palestar sobre o tema, o consultor do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Eugênio Vilaça Mendes, destacou doenças crônicas, como o diabetes, asma e hipertensão arterial, como importantes no processo de planificação. "Temos que atuar firmemente na prevenção destes agravos, no diagnóstico precoce e na estabilização do quadro por meio de tratamentos adequados", defendeu. Aliadas ao estímulo do autocuidado e trabalho interdisciplinar das equipes de saúde, as medidas reduziriam consideravelmente complicações e internações hospitalares.

Garantir eficiência 

A Planificação da Atenção à Saúde contribui na resposta às necessidades de saúde da população de forma eficiente e resolutiva. Suas ações estimulam a construção coletiva de conhecimento, compartilhando conceitos e ferramentas que qualifiquem o trabalho dos profissionais. Busca ainda estabelecer uma rede efetiva de cuidado entre os níveis de atenção primário, secundário e terciário.

No Rio Grande do Sul, o processo é desenvolvido pela SES em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde. A iniciativa começou em 2015 através da Planificação da Atenção Primária à Saúde e da Atenção Ambulatorial Especializada na Rede Materno Infantil, nas regiões de saúde 1 e 2, pertencentes à 4ª CRS, com sede em Santa Maria.

Comentários

Comentários