Nada importa se não for original – Sergio Agra

Numa das viagens que realizei a Porto Alegre em 2020 AC –isto é, Antes do Coronavid-19 – vislumbrei algo que de uns tempos para cá entrou praticamente em extinção, mas que me trouxe risonhas lembranças: as frases de para-choques dos caminhões.

As frases de para-choquesfizeram parte da cultura do caminhoneiro. Existem as lúdicas, religiosas, filosóficas, dentre muitas outras.A prática começou nos anos 50, inspirada no filateado, um tipo de desenho estilizado feito na Argentina, no século 19. As pinturas eram usadas para enfeitar carroças. Com o tempo, passou a ilustrar os ônibus dos “hermanos”, incluindo nelas algumas frases inspiradoras.Graças aos fretes entre os países do Mercosul, não demorou para que os motoristas brasileiros aderissem à moda.

Nos anos 80, com as montadoras investindo em tecnologia e conforto, os estradeiros se sentiram motivados a expressar seus pensamentos e sentimentos nos para-choques, resultando no grande número de frases que conhecemos até hoje.

Apesar de a prática ter caído em desuso, sobretudo em razão da terceirização de fretes e pelas empresas contratantes não admitirem grafismos, ainda existem por aí pintores de para-choques que levam consigo um caderno recheado de ditos, piadas e lições de vida, propondo-se a realizar seu trabalho artístico na traseira do caminhão em troca de dinheiro ou de uma carona. São, frases e ditos dos mais curiosos, bem humorados e de uma criatividade invejável. Faço gosto de compartilhar o resultado de minhas pesquisas:

Existem três tipos de pessoas: as que sabem contar e as que não sabem”. “Pra quem tá se afogando, jacaré é tronco!”.“A cal é virgem porque só lida com brocha”. “A esperança e a sogra são as últimas que morrem”. “A fé remove montanhas, mas eu prefiro dinamite”. “À noite todas as pardas são gatas”.

Nesses trevosos dias de confinamento, de distanciamento social, de incertezas e angústias que paralisaram quase por completo a roda da economia, fomentando o desemprego, a fome dos trabalhadores informais e, infelizmente, o assombroso número de infectados e de óbitos a cada vinte e quatro horas, proprietários de restaurantes vislumbraram no delivery a saída emergencial para não cerrarem em definitivo suas portas. Centena de motoboys cruzam ruas e avenidas,portando nas caixas térmicas de suas motocicletas marmitex que os sensatos encomendam, evitando tornar ainda mais constante a ida a supermercados, fruteiras e padarias.

Decidimos por esta segura modalidade.Assim, acondicionado em caprichosos e vedados isopores, diariamente recebemos nesta tenebrosa travessia o maná dos deuses.

Certa feita chamou-me atenção, na parte superior do isopor, a frase manuscrita “Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo”. Incrível!, pensei, o fornecedor do marmitex só não fora criativo em implantar o sistema delivery como em “criar” e escrever frases motivadoras sobre o isopor. No dia seguinte, nova sentença: “É melhor você tentar algo, vê-lo não funcionar e aprender com isso, do que não fazer nada”. Bóooooh! O cara é diferenciado, escreve frases motivadoras, levantando o astral de seus clientes!No terceiro dia, eis o socrático lema: “Só é útil o conhecimento que nos faz melhores“. Êpa, socrática sentença? Claro, tratava-se de um pensamento de Sócrates!

Fui ao “Dr.” Google e conferi: a primeira é de autoria do poeta brasileiroCarlos Drummond de Andrade; a seguinte, de Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook.

O marmiteiro é expert no levantar o ânimo, de esperançar e fortalecer a autoestima de seus consumidores. Que venham outras mais, muito mais, como “O que não me mata me fortalece”, Friedrich Nietzsche; “Um homem é um sucesso se pula da cama de manhã e vai dormir à noite e, nesse meio tempo, só faz o que gosta.”, Bob Dylan; “O difícil não é subir, mas ao subir, continuarmos a ser quem somos.” Jules Michelet.

Nestes longos dias-e-noites-dias-e-noites de perplexidades, de desesperos, de inquietudes, distante fisicamente de nossos mais caros afetos, é alentador saber diariamente que existe um fornecedor de marmitex que nos apazigua e nos alimenta com saboroso, caprichoso e nutrido cardápio, acompanhado de motivadoras citações escritas à mão, de autores outros que não ele próprio, isso agora é de somenos, pois, como sentenciava Abelardo Barbosa, o Chacrinha,“Nada se cria, tudo se copia”.

Como terá sido o Corona vírus?…

Comentários

Comentários