Nuvem de gafanhotos invade províncias argentinas e ameaça chegar ao RS

Foto: Divulgação / Senasa

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-Alimentar (Senasa), do governo da Argentina, emitiu um alerta de perigo na fronteira com o Rio Grande do Sul devido ao avanço de uma nuvem de gafanhotos que vem sendo monitorada desde maio pelo país vizinho.

A nuvem veio do Paraguai e chegou à província de Santa Fé, na Argentina, no dia 17. Dois dias depois, avançou pelo Rio Paraná até Corrientes. De acordo com o Senasa, a previsão é de que, com os fortes ventos, a nuvem chegue hoje à província de Entre Ríos.

— É um risco que não deve ser ignorado — afirma Ricardo Felicetti, chefe do Departamento de Defesa Vegetal da Secretaria de Agricultura do Estado.

Há relatos que indicam que os gafanhotos migratório sul-americano podem voar até cem quilômetros por dia.

A nuvem pode provocar danos e que a “manga” das características que foram monitoradas em um quilômetro quadrado tem até 40 milhões de insetos.

Uma “manga” de um quilômetro quadrado pode comer o mesmo que 35 mil pessoas ou pelo menos duas mil vacas/por dia, afetando principalmente pastagens e campos nativos, explicou Medina.

Os pontos de atenção no Rio Grande do Sul são áreas no Oeste/Noroeste e também no Sul, na fronteira com o Uruguai.

Em 2017, houve alerta semelhante, mas a nuvem acabou não chegando ao território gaúcho.

Comentários

Comentários