O sonho de Ícaro 5 – A última fronteira, o espaço

Falar em viagens espaciais é uma utopia? Recordemos que, em 1.906, Santos Dumont realizou o primeiro voo sem auxílio de catapulta com seu 14-bis e, em 1.957, o Sputnik entrou em órbita. O que nos reservam os próximos 100 anos?

O que se projeta é de uma magnificência tal que, mesmo atualmente se considere um sonho utópico, podemos vislumbrar a última fronteira: o espaço sideral.

Projetistas trabalham afanosamente em aviões ainda mais seguros e menos poluentes. O motor a jato é conceitualmente muito simples. Ele opera seguindo a lei de Newton, ação e reação. O ar entra, passa por um compressor até atingir o núcleo do motor onde o combustível é queimado e produz exaustão de gases por trás, propelindo a turbina e acelerando o avião. Projetistas tiveram a ideia deincluir uma ventoinha à frente do moto para fazer que parte do ar contornasse o motor  e vazasse pelos lados. Aumenta a potência e diminui o consumo em 15%, além de ser mais silencioso. A General Electric e Rolls-Royce propõem alterar a parte frontal do motor e usar materiaiscompostos e cerâmica. Mais 15% de potência.

Para 2.050 a Airbus prevê parte da fuselagem transparente permitindo aos passageiros uma sensação de voo diferente de tudo que temos hoje. Isso será possível lançando mão do grafeno, material feito de carbono que é centenas de vezes mais resistente que o aço.

A VOLTA DOS SUPERSÔNICOS

Em 21 de janeiro de 1.976 decolou o primeiro avião supersônico de passageiros, o Concorde. Ele fazia o trecho Londres-Nova York em três horas, a metade dum jato convencional. Atingia 2.179 km/h numa altitude de 16 a 17 mil metros. O Concorde, apesar do glamour do voo supersônico acabou virando peça de museu devido a problemas técnicos e de rentabilidade.

Mais de 10 anos após, várias empresas apostam em poder encontrar a fórmula bem-sucedida para um avião supersônico.

O N+2 da Loockheed Martin foi desenhado para 80 passageiros. Dotado de três motoresturbojatos e desenvolve velocidade 70% maior que o som (834,13 km/h a 10ºC), com um boom sônico cem vezes menor que o Concorde.

i1

A BoomTechnoligydos EUA aposta num design ousado, que poderia atingir 2,2 vezes a velocidade do som (2.612 km/h a 10ºC) com 40 passageiro; O projeto ainda esta na fase inicial de planejamento.

i2

O ESPAÇO, FRONTEIRA FINAL

A aviação foi possivelmente a maior conquista tecnológica da aviação, um passo para aproximar as pessoas no planeta como PhileasFogg, personagem da “A volta ao mundo em 80 dias”, romance de Júlio Verne. Baseado em fatos reais, jamais poderia imaginar. Hoje, em poucas horas se pode atingir qualquer ponto da Terra.

A história da aviação prova que o impossível hoje é a realidade de amanhã. Ainda é cedo para falar em viagens interplanetárias. É só uma questão de tempo. A partir de 2.017 e 2.018, quando devem voar as cápsulas Dragon 2, da Space X, e CST-100 Spaceliner, da Boeing ir ao espaço em viagens suborbitais será como comprar uma passagem intercontinental, custará US$ 250 mil.

OI Spaceport América, localizado no Novo México (EUA), deve ser a principal base de operações da Virgin Galactic, empresa que promete realizar voos espaciais de turismo nos próximos anos.

i3

Em 2.004 a administração dos Estados Unidos anunciou que nova “Vision for Space Exploration” apresentou a missão tripulada a Marte como uma de suas maiores apostas. Em 2.010. uma nova proposta de lei foi assinada permitindo uma missão tripulada por volta de 2.030.

DEPOIS, O COSMO É O LIMITE. Os dados para esta coluna foram recolhidos na revista “Superinteressante”, edição 363-A eno Google.

Jayme José de Oliveira cdjaymejo@gmail.com Cirurgião-dentista aposentado

Comentários

Comentários