Operação Contundência desarticula organização criminosa e prende 12 pessoas

Na manhã desta quinta-feira (04) a Polícia Civil, por meio da 1ª Delegacia de Repressão a Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais, deflagrou a Operação Contundência, em Porto Alegre, região metropolitana e litoral.

O objetivo da operação foi desarticular uma organização criminosa responsável por crime de extorsão mediante sequestro, roubo a lotérica seguida de tentativa de homicídio de policiais civis, além de outros delitos contra o patrimônio.

Durante a ação de hoje, 12 pessoas foram presas, 11 delas durante cumprimento de mandados de prisão e uma delas em função do indivíduo estar na condição de foragido. Aproximadamente 80 policiais civis cumpriram 26 ordens judiciais, sendo 11 mandados de prisão e 15 mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Canoas, Esteio, Alvorada, Novo Hamburgo e Tramandaí, além de sequestro de veículos.

Segundo o delegado João Paulo de Abreu, a ação é uma continuidade das investigações criminais com vistas a apurar a autoria, materialidade e circunstâncias de crime de extorsão mediante sequestro e organização criminosa, ocorrido na cidade de Tapes em 2018, tendo como vítimas um funcionário de instituição bancária e familiares. O grupo também é investigado por roubo a lotérica, seguido de tentativa de homicídio contra policiais civis em Esteio.

“A investigação desenvolvida pela 1ª Delegacia de Roubos do Deic, ao longo de mais de sete meses, conseguiu evitar diversos crimes patrimoniais, prender em flagrante parte do grupo criminoso e, especialmente, produzir robusta prova sobre cada um dos membros da organização criminosa”, disse o delegado.

Ainda conforme o delegado, percebeu-se que a organização criminosa, durante o período das investigações, praticou uma séria de delitos patrimoniais, bem como pretendeu praticar outros delitos de extorsão mediante sequestro, ou mesmo roubo a instituição bancária, no Estado do Rio Grande do Sul, sendo devidamente obstaculizados. “Anote-se também que, fortuitamente, outros fatos criminosos foram descobertos e autoria estabelecida, visto que, pontualmente alguns membros da organização criminosa se associaram a outras pessoas, para o cometimento de novos delitos”, completou.

A ação teve o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico.

Sobre o fato ocorrido em Tapes

O fato ocorreu em 05 de dezembro de 2018, na cidade de Tapes, por volta das 18h30min, sendo que a libertação da vítima de sequestro ocorreu em 06 de dezembro de 2018, na cidade de Novo Hamburgo por volta das 10h, após a entrega de valores retirados da instituição bancária, a título de resgate.

Durante a madrugada, as vítimas tiveram suas liberdades restringidas, na própria residência, passando por momentos de terror, face a ameaças de mortes, com emprego de arma de fogo.  Ainda na madrugada, a vítima de sequestro, uma mulher, foi transportada em um veículo GM Celta, apreendido durante as investigações, para o local de cativeiro situado no bairro Canudos, em Novo Hamburgo. Ali permaneceu até que a vítima de extorsão retirasse valores da instituição bancária em que trabalhava, entregando-os para os sequestradores.

A investigação preliminar desse evento contou com apoio de diversos policiais da Delegacia de Polícia Regional de Camaquã.

Roubo a lotérica e tentativa de homicídio contra policiais civis

Em 14 de abril de 2019, uma ação operacional foi desencadeada pela Polícia Civil, na cidade de Esteio, visando evitar a prática de ação criminosa por parte da organização criminosa. Na ocasião, a investigação criminal demonstrava que algum fato seria praticado, entretanto, sem precisão de local e tempo.

Após uma lotérica, situada na Avenida 24 de agosto, ter sido roubada, os policiais civis perseguiram o grupo criminoso, que fugiu do local em uma Ecosport, cor branca, posteriormente localizada. O veículo havia sido roubado e adulterado. Na perseguição, dentro da própria cidade de Esteio, imediações da Avenida Padre Claret, os indivíduos efetuaram diversos disparos contra os policias civis, disparos esses executados também em via pública e nas imediações de estabelecimentos educacionais. O fato foi presenciado, inclusive, por educadores e alunos.

Outros crimes evitados

A investigação criminal possibilitou à Polícia Civil prender em flagrante delito três criminosos que já estavam praticando os atos executórios de furto qualificado mediante rompimento de obstáculo contra um banco, situado na Avenida Assis Brasil, em 09 de março de 2019, ocasião em que três pessoas foram presas em flagrante delito.

Os indivíduos já tinham quebrado a parede que faz divisa com o banco, bem como construído um túnel, que levava ao cofre da retaguarda dos caixas eletrônicos.

Destaca-se, ainda, que pelo menos outros dois roubos a estabelecimentos bancários, com potencial de serem praticados em concurso com crimes de extorsão mediante sequestro, foram evitados durante o trabalho desenvolvido pelos policiais civis.  Os crimes ocorreriam, em tese, na zona sul de Porto Alegre e na cidade de Esteio.

Comentários

Comentários