Operação no Litoral Norte combate grupo que agia como milícia

Nesta quinta-feira (20), a Polícia Civil, por meio da 2ª Delegacia de Polícia de Canoas, deflagrou a Operação Praetorium, com o objetivo de combater os crimes de tráfico de drogas, extorsão e lavagem de dinheiro praticados por integrantes de organização criminosa no município de Canoas.

Durante as ações, realizadas nas cidades de Canoas, Esteio, Imbé, Tramandaí e Rio Grande, foram cumpridos 33 mandados de busca e apreensão e 12 pessoas foram presas. Também foram apreendidas uma arma de fogo, drogas, cadernos com anotações do tráfico, celulares e diversos outros objetos.

Segundo o Diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional de Canoas (2ªDPRM), delegado Mario Souza, os presos agiam de extrema violência contra as vítimas e criminosos rivais.

“Os indivíduos são suspeitos de inúmeros casos de tortura e espancamentos de pessoas que pediam dinheiro emprestado e depois não tinham condições de pagar as prestações”, contou o delegado.

De acordo com a delegada Miriam Thomé, da 2ª Delegacia de Polícia de Canoas, uma das formas que o grupo utilizava para manter o controle na região foi a criação de uma empresa de segurança cuja contratação passou a ser exigida dos moradores.

“A empresa cobrava mensalidades dos moradores e instalava placas nas casas, com a identificação”, explicou a delegada.

Participaram da Operação 215 policiais civis. As atividades contaram com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Delegacia de Polícia Regional de Osório,  e do helicóptero da Polícia Civil, que deu suporte aéreo às ações terrestres.

Comentários

Comentários