Papagaio

O Papagaio, depois de posto em liberdade em razão de legislação frouxa que temos, decidiu que não iria cumprir o  restante de sua pena no semi-aberto lá em Charqueadas.

Para tal criou uma estória, segundo a qual, se sentia ameaçado. Ameaçado?

Logo ele que mata para poder roubar.

Ora, me contem outra por que essa eu não engulo.

Estou velho demais para tal.

O facínora se mandou e foi a Santa Catarina buscar grana que certamente lá estava guardada.

Retornou com toda a pompa e vai direto ao Foro Central onde se apresenta a um magistrado que penso ser ingênuo.

Este o encaminha ao albergue junto ao Presídio Central onde ele já havia afirmado que pretendia ficar.

Eu disse magistrado ingênuo por que acredito na honestidade dos nossos magistrados.

Lembro que não temos muita sorte com Secretários de Segurança.

Quando é “bão”, mandam embora como foi o caso do Deputado Enio Bacci. O Papagaio protagonizou a fuga mais espetacular que se poderia imaginar, quando saiu do Presídio de Alta Segurança de Charqueadas. Eu  disse saiu, por que de lá não há como fugir.

Alguém certamente permitiu tal.

Foi realizada sindicância e até hoje não nos foi dito quem teria facilitado a fuga do patife.

Ou quem sabe como teria conseguido fugir, admitindo essa hipótese que entendo impossível, mas às vezes o impossível acontece não é mesmo?

Ou como se costuma ouvir muito por aí, quem teria “fugado” o larápio. Naquela ocasião tínhamos por Secretário de Segurança um Desembargador aposentado, aquele que abraçou o “coitadinho” da lotação tão logo o mesmo se rendeu.

Lembram?

Pois eu lembro que enquanto aquele Secretário enchia a bola da Brigada Militar, instituição contra a qual nada tenho, alguns policias do DEIC, durante 3 ou 4 dias, na Praia de Ibiraquera/SC, dormiam no meio das dunas, comiam bolachas e bebiam água mineral esperando a presença do Papagaio, resultando que o prenderam.

Passado algum tempo, foi posto em liberdade, desta vez com ordem judicial em função de benefício que a lei confere a esse tipo de gente.

Mais uma vez o patife “fugou”.

E lá foi novamente o pessoal do DEIC capturá-lo em Balneário Camboriú.

Esta semana o nosso magistrado, ao invés de mandar um funcionário do cartório ligar para o DEIC que o recolheria imediatamente já que era foragido, atende sua pretensão e o encaminha ao Albergue junto ao Presídio Central.
 
Eu não agüento mais essas historinhas do Papagaio.

Peço a Deus que numa próxima fuga, dê de cara com o pessoal do DEIC e reaja, pondo  fim a essa interminável novela que lembra muito aquelas da Globo que quando começam a elevar a audiência não terminam mais. Chega!!!

Comentários

Comentários