Polícia suspeita de como dentista teria morrido: laudo deve sair nos próximos dias

Estado: O Instituto-Geral de Perícias deve esclarecer agora a causa da morte da dentista Bárbara Machado Padilha, 32 anos, cujo corpo foi encontrado na tarde desta quarta-feira em um matagal de difícil acesso, distante cerca de 300 metros da BR 158, em Santa Maria.

Uma equipe do IGP esteve no local após ser acionada pela Polícia Civil que aguarda os laudos para inclusão no inquérito conduzido pelos delegados Sandro Meinerz e Adriano de Rossi após o desaparecimento da vítima no final da tarde de sábado passado em Tupanciretã, onde residia com o marido.

Segundo Rossi, responsável pelas investigações, todos os indicativos levam para suicídio.

O laudo de necropsia, que apontará a causa da morte e também quando ela ocorreu, deve sair nos próximos dias.

Já os exames toxicológicos, que vão apontar se houve ingestão de alguma droga, remédio ou veneno, demoram um pouco mais.

— Provavelmente, a necropsia vai apontar o que já esperamos, que foi a ingestão, talvez, de uma alta quantidade de medicamento. Não descartamos também a possibilidade de algum veneno. Mas o mais importante é o toxicológico, que vai apontar qual substância que foi ingerida, já que não encontramos a sua bolsa e nem qualquer outro vestígio que possa apontar o que ela ingeriu para causar a própria morte — disse o delegado a Zero hora..

Além disso, também serão analisados dados de pesquisas feitas pela dentista na internet.

O objetivo é descobrir se ela procurou por informações que auxiliassem em um planejamento para tirar a própria vida.

Comentários

Comentários