Pônei é resgatado por policiais na Estrada do Mar

Um pônei foi resgatado por policiais militares rodoviários, na noite desta quinta-feira (01), em Xangri-Lá.

O animal foi abandonado na Estrada do Mar e corria risco de ser atropelado e causar um grave acidente.

O Soldado Robison, um policial militar, escreveu sobre a atitude dos colegas.

Leia abaixo na íntegra.

“Parabéns aos policiais militares rodoviários que resgataram um pônei que estava abandonado na Estrada do Mar, em Xangri-lá, correndo o risco de ser atropelado e causar um grande acidente.

São atitudes como essa que nos inspiram a acreditar que podemos ser seres humanos, mais humanos, do que seres.

Muitos acreditam que o policial é um ser duro, sem sentimentos, uma pessoa de poucos amigos e até mesmo que não é um ser humano. Realmente, algumas vezes o policial deve se manter firme e ser indiferente para não se envolver emocionalmente em algumas ocorrências, pois ele não pode fazer parte dos problemas para os quais ele foi chamado para resolver, ele deve ser imparcial, neutro e sensato.

Mas se engana quem acredita que um “homem da lei” é apenas isso. O policial tem sentimentos e passa por situações que muitos seres humanos jamais passarão durante toda a sua vida.

Um policial militar precisa cuidar de uma mãe de família que foi espancada por seu companheiro, levá-la para o hospital e cuidá-la como se fosse sua mãe, sem poder se colocar nesse lugar, de filho. Um policial precisa ajudar um idoso que saiu sozinho a atravessar a rua, pois não tem a mesmo vigor e força nas pernas, sabendo que poderia ser seu avô, e pensar que se fosse, jamais sairia sem companhia.

Um policial, durante uma troca de tiros com criminosos, pode pensar na sua família que está em casa e, ao mesmo tempo, lembrar que precisa se manter vivo para poder voltar a vê-los.

Um policial precisa atender um acidente de trânsito e carregar nos braços uma criança quase sem vida, sabendo que poderia ser seu filho, mas não podendo pensar dessa forma, por que isso poderia influenciar no salvamento.

Quando ninguém vê, apenas Deus e a sua consciência, um policial militar precisa se manter incorruptível e se manter fiel aos princípios que aprendeu desde pequeno e honrá-los.

Quando ninguém vê e sem esperar nenhum reconhecimento, o policial realiza pequenos gestos que, aparentemente não mudam muita coisa, mas se cada ser humano repetir esses pequenos gestos, teremos um lugar agradável para viver e iremos sentir orgulho do que somos e do que fazemos.

Autor: Soldado Robison, um policial”.

Comentários

Comentários