Porque rezar? Dom Jaime Pedro Kohl

O 17º Congresso do Apostolado da Oração da diocese de Osóriome dá a oportunidade de falar da importância da oração na vida da pessoa. E logo me veio a pergunta: por que rezar? Achei que esse seria o questionamento que muita gente me faria se fosse convidada a rezar.

Andando pelas comunidades por ocasião da Visita Pastoral, o que mais me inquieta é perceber a pouca vibraçãonos momentos de oração, a passividade de uma grande parte das pessoas que vem às nossas celebrações. Tem muita gente “assistindo” missa, não abrindo a boca nem sequer para dizer ‘Amém’.

Ver adolescentes e jovens crismandos prestes a receber a plenitude do Espírito Santo, sem entusiasmo e vibração, me deixa preocupado. Quando lhes falo da beleza e do grande dom de Deus que estão por receber ficam com os olhos arregalados, parece que escutam,mas logo em seguida não percebo um envolvimento pessoal no que está sendo celebrado.

A culpa pode ser nossa que não ensinamos a rezar, ou de uma catequese antiquada e pouco vivencial. Parece que as pessoas tem vergonha de responder as orações, participar do canto, manifestar um sentimento. Será que não conhecem as respostas da missa?

Trago esses questionamentos por ocasião do Congresso do Apostolado da Oração, pois justamente dizer “apostolado” da “oração” é reconhecer que a ORAÇÃO tem um poder transformador, de conversão e santificação de si e dos outros para os quais oferecemos nossas preces.

Embora, muita gente ache que a oração seja perda de tempo, tem quem não tem receio de jogar toda a sua vida nessa atividade, como é o caso das monjas e monges que vivem nos mosteiros e conventos enclausurados.

Só reza quem acredita em Deus, no seu poder e amor. Quem nunca reza e acha que não precisa de Deus será que alcança a felicidade?

Não querendo convencer ninguém, mas desejando apenas ajudar, digo que rezar faz bem e é conveniente, mesmo que não seja fácil, porque a oração ajuda a fazer um juízo correto de si, da sua relação com Deus, com os irmãos e com o mundo; ajuda a manter o equilíbrio e a paz de espírito; produz vida interior e capacidade de ação diante dos desafios e lutas davida; ajuda a responder ao mal com o bem.

Quando corremos demais e rezamos de menos, a vida parece amarga e sem brilho.Quando rezamos ela retoma sentido e sabor.

A oração faz sempre bem. Sim, ela é apostolado!

Dom Jaime Pedro Kohl – Diocese de Osório

Comentários

Comentários