Prefeitura do Litoral emite nota para desmentir presença de jiboias em lagoa

A Prefeitura de Balneário Pinhal emitiu nota para desmentir e tranquilizar a população, a respeito de uma informação falsa que circula pelo Facebook, de que há um casal de jiboias na Lagoa da Rondinha.

Veja abaixo o comunicado na íntegra.

“ESCLARECIMENTO: NOTÍCIA FALSA!!!!

Todo verão circula nas redes sociais a notícia de que há um casal de jiboias na Lagoa Rondinha em Balneário Pinhal. Também já foi dito que seria uma sucuri. Só essa diferença nas informações já mostra o teor falso que a notícia tem.

A verdade é que se trata sim de uma sucuri, mas não foi encontrada na Lagoa Rondinha, aliás, nem perto daqui! Para ficar ainda mais claro, clique nesse link (http://www.oeco.org.br/…/o-que-as-sucuris-matam-e-porque-…/… ). Veja que a imagem da sucuri faz parte de uma reportagem sobre sucuris e o fotógrafo se chama Tomas Waller. Tomas é um pesquisador da IUCN (em português, União Internacional para a Conservação da Natureza), que trabalha na Argentina e um grande nome no estudo das serpentes.

A imagem é real, mas não tem nada a ver com a Lagoa Rondinha! Podem ficar tranquilos e aproveitar o verão na nossa lagoa!

Aimée Ferreira Siqueira

Bióloga e Mestre em Biodiversidade Animal (UFSM)

Secretaria de Meio Ambiente de Balneário Pinhal”

Dicas para identificar notícias falsas

1 – Seja cético com as manchetes. Notícias falsas frequentemente trazem manchetes apelativas em letras maiúsculas e com pontos de exclamação. Se alegações chocantes na manchete parecerem inacreditáveis, desconfie.

2 – Olhe atentamente para a URL. Uma URL semelhante à de outro site pode ser um sinal de alerta para notícias falsas. Muitos sites de notícias falsas imitam veículos de imprensa autênticos fazendo pequenas mudanças na URL. Você pode ir até o site para verificar e comparar a URL com a de veículos de imprensa estabelecidos.

3 – Investigue a fonte. Certifique-se de que a reportagem tenha sido escrita por uma fonte confiável e de boa reputação. Se a história for contada por uma organização não conhecida, verifique a seção “Sobre” do site para saber mais sobre ela.

4 – Fique atento a formatações incomuns. Muitos sites de notícias falsas contêm erros ortográficos ou apresentam layouts estranhos. Redobre a atenção na leitura se perceber esses sinais.

5 – Considere as fotos. Notícias falsas frequentemente contêm imagens ou vídeos manipulados. Algumas vezes, a foto pode ser autêntica, mas ter sido retirada do contexto. Você pode procurar a foto ou imagem para verificar de onde ela veio.

6 – Confira as datas. Notícias falsas podem conter datas que não fazem sentido ou até mesmo datas que tenham sido alteradas.

7 – Verifique as evidências. Verifique as fontes do autor da reportagem para confirmar que são confiáveis. Falta de evidências sobre os fatos ou menção a especialistas desconhecidos pode ser uma indicação de notícias falsas.

8 – Busque outras reportagens. Se nenhum outro veículo na imprensa tiver publicado uma reportagem sobre o mesmo assunto, isso pode ser um indicativo de que a história é falsa. Se a história for publicada por vários veículos confiáveis na imprensa, é mais provável que seja verdadeira.

9 – A história é uma farsa ou uma brincadeira? Algumas vezes, as notícias falsas podem ser difíceis de distinguir de um conteúdo de humor ou sátira. Verifique se a fonte é conhecida por paródias e se os detalhes da história e o tom sugerem que pode ser apenas uma brincadeira.

10 – Algumas histórias são intencionalmente falsas. Pense de forma crítica sobre as histórias lidas e compartilhe apenas as notícias que você sabe que são verossímeis.

 

Comentários

Comentários