Presos suspeitos de fazer família do prefeito de Cidreira refém durante assalto

Pouco mais de um mês depois do assalto com reféns na residência do prefeito Alex Contini (PP), de Cidreira, a Polícia Civil conseguiu identificar os criminosos e realizar, nesta terça-feira (4), operação para prender os suspeitos de serem integrantes da quadrilha.

Cerca de 30 agentes cumpriram seis mandados de prisão — além de buscas — no município do Litoral Norte, e também em Cachoeirinha, Porto Alegre e Novo Hamburgo. Conforme a investigação, o grupo também atacou, três dias após o assalto, a casa da ex-esposa do chefe do Executivo de Cidreira.

Até as 7h30min, três suspeitos haviam sido presos, sendo dois em Cachoeirinha, durante a manhã desta terça-feira, e um em Santa Catarina, na noite de segunda-feira.

De acordo com o delegado Alexandre Souza, responsável pela delegacia de Cidreira e pela investigação, a prisão no Estado vizinho foi necessária para evitar possível fuga do suspeito. Três homens são considerados foragidos.

— Esses ladrões, além de assaltar a casa do prefeito e de familiares, também roubaram outros locais no Litoral e depois gastavam todo o dinheiro com bebidas e festas particulares em motéis da Grande Porto Alegre — ressalta Souza.

Além dos assaltos nas residências de Contini e familiares, a quadrilha da Região Metropolitana é investigada por outros roubos e furtos a casas no Litoral, principalmente em Cidreira e Balneário Pinhal, além de um supermercado em Capão da Canoa.

Comentários

Comentários