Professora do campus de Osório é vencedora de prêmio nacional da Fundação Carlos Chagas

Entrar em uma sala de aula, com 30 estudantes em média, para lecionar pela 1ª vez não é tarefa fácil. Por mais que se tenha uma ótima base teórica, é com a prática que esse desafio de ensinar vai se tornando cada vez mais fácil.

Foi com o objetivo de proporcionar experiências práticas aos estudantes do curso de Licenciatura em Letras do Campus Osório do IFRS que a professora Rafaela Fetzner Drey desenvolveu o projeto “O ensino de Língua Inglesa na prática: micropráticas de ensino de inglês para a comunidade”. A proposta deu tão certo, que foi anunciada ontem, dia 3 de outubro de 2019, entre os três projetos vencedores da 9ª Edição do Prêmio Prof. Rubens Murillo Marques (PPRMM), da Fundação Carlos Chagas.

A iniciativa tem como objetivo valorizar e divulgar experiências formativas propostas e realizadas por docentes dos cursos de Licenciatura na formação de professores para a educação básica. Esta é a primeira vez que o prêmio é concedido a um professor de Institutos Federais. Os outros dois premiados são da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade de São Paulo (Usp), ambos projetos da área de Ciências Biológicas. “Até então, só professores de universidades, em sua maioria de federais, foram agraciados com o prêmio. Trazer esse prêmio para o IFRS faz com que os Institutos Federais passem a ser enxergados como um local que também faz, e muito bem, o trabalho de formação de professores”, comemora Rafaela.

A cerimônia de entrega do prêmio será realizada em 22 de novembro, no auditório da Fundação Carlos Chagas, na capital paulista. Os vencedores serão agraciados com prêmio de R$ 20 mil, diploma e troféu (réplica da escultura da artística plástica Vera Lucia Richter). Além disso, os projetos laureados serão publicados de forma detalhada na próxima série Textos FCC, que visa subsidiar outras iniciativas e divulgar as experiências a especialistas da área e demais públicos interessados na temática.

Sobre o projeto

O trabalho desenvolvido pela professora Rafaela constitui-se em um projeto de extensão curricularizado, vinculado à disciplina de Metodologia e Laboratório de Ensino de Inglês, do quarto semestre do curso de Licenciatura em Letras – Português/Inglês do IFRS – Campus Osório. Por meio dele, os estudantes vivenciam experiências práticas de ensino de língua inglesa, oferecendo novas perspectivas de estudo da língua estrangeira para alunos de escolas públicas da comunidade.

A primeira edição das micropráticas ocorreu em 2017, no Campus Osório. Já no ano passado, os alunos-professores licenciandos realizaram a atividade em turmas de língua inglesa de ensino fundamental da Escola Estadual General Osório. “Eles passaram em torno de um mês fazendo observações e desenvolvendo práticas de ensino – experiência que os preparou para encarar o estágio supervisionado. O perfil dos nossos estudantes é nunca ter dado uma aula. Como formadora de docentes, sei que o futuro professor não pode ter contato com alunos pela primeira vez no seu estágio. E foi essa inquietação que resultou no projeto”. conta Rafaela. A docente destaca que a parceria das professoras Rovena Zapparoli e Patrícia Ferrari foi fundamental para a formação dos futuros professores, pois elas contribuíram na elaboração dos planejamentos e orientaram os alunos com sua experiência.

Para o estudante do Campus Osório, Antônio Nunes Quintana, do 7º semestre do curso de Licenciatura em Letras, participar do projeto foi extremamente importante para o domínio do conteúdo e para sua atuação em sala de aula: “As micropráticas deram todo o subsídio necessário, permitiram aliar a teria à prática, me preparando, de fato, para dominar o conteúdo e me sentir à vontade diante dos alunos”.

O projeto originou uma pesquisa que verificou o impacto das práticas de ensino na formação inicial dos professores de Língua Inglesa. Também resultou no livro ‘Ensino de inglês nos dias atuais: Experiências práticas de sala de aula’, escrito em parceria com a professora Isabel Selistre, que contém projetos de micropráticas e de estágio. A obra será lançada no final do mês, na Feira do Livro de Osório.

Prêmio Prof. Rubens Murillo Marques

Criado em 2011, o Prêmio é também uma homenagem ao Prof. Dr. Rubens Murillo Marques, presidente de honra e um dos fundadores da Fundação Carlos Chagas, em reconhecimento a sua trajetória acadêmica e ao seu empenho no fortalecimento dessa instituição.

Neste ano, foram recebidas 94 inscrições, de projetos de diversas regiões do país. A seleção dos vencedores foi realizada por uma Comissão Julgadora, composta por especialistas na área da formação docente do projeto inscrito e pelo Comitê Executivo do Prêmio. A avaliação considerou a originalidade dos procedimentos didáticos empregados, ou seja, a utilização de estratégias diferentes das usuais, que tenham sido criadas, agregadas ou adaptadas pelo autor do projeto visando à aprendizagem do futuro professor da educação básica, bem como o potencial multiplicador da experiência.

De acordo com Gisela Lobo Tartuce, pesquisadora da FCC e uma das coordenadoras da iniciativa, “a cada ano o prêmio tem como desafio identificar e valorizar professores que assumem o compromisso de promover o avanço intelectual e profissional dos futuros docentes e favorece o aprendizado da docência e do conhecimento profissional, que é específico e indispensável ao desenvolvimento dessa atividade”.

Para saber mais sobre o Prêmio Prof. Rubens Murillo Marques de 2019 e conferir os resultados das edições anteriores, acesse a página da iniciativa, no site da FCC.

Gabriela Morél

Comentários

Comentários