Relacionamentos abusivos – Psicóloga Marisele Souza

Psicóloga Marisele Souza

Você já ouviu falar em relacionamento abusivo? O termo “violência” possui vários significados e complexidades, já que está relacionado a contextos sociais, diferencia-se no tempo e no espaço a partir do contexto sociocultural em que se manifesta. Sendo assim,“violência” é condicionada de acordo com regras de um determinado lugar ou tempo, ou seja, é influenciada pela cultura e padrões da sociedade.

Estudos mostram que pelo menos uma em cada três mulheres já foi espancada, em todo o mundo ou sofreram alguma outra forma de abuso durante a vida. A agressão sofrida pelo parceiro também conhecida como violência doméstica é frequentemente acompanhada de agressão psicológica e relações sexuais forçados.Sendo seu agressor alguém que ela conhece, que possui um vínculo, membro ou conhecido da família e em outros casos seu companheiro de vida.

O abuso físico praticado pelo parceiro é um padrão de comportamento repetitivo, de controle e dominação, e não um ato único de agressão física à mulher. E por ser um padrão de comportamento, o agressor repete esse padrão de relacionamento em outras relações, pessoais e interpessoais. Com isso, a agressão causa prejuízos a saúde física e emocional das mulheres e quando se tem filhos as consequências podem ser maiores.

Existem diversos tipos de abusos, não apenas o físico, mas também o psicológico, sexual, comportamentos de controle provocando isolamento forçado da mulher em relação à sua família e amigos e etc.E os motivos para continuar em um relacionamento abusivo podem ser medo de sofrer preconceito, perda do suporte financeiro, preocupação com os filhos, dependência emocional, perda de apoio da família e dos amigos e esperança de que “ele vai mudar um dia”.Visto que, existem fatores que contribuem para que a mulher aceite essa relação abusiva.

O abuso psicológico é causado por manipulação, palavras ofensivas, humilhação, frases de desvalorização, sendo ainda mais graves que seus efeitos físicos, já que não deixam marcas evidentes na vítima. A experiência do abuso influencia na diminuição da autoestima da mulher, favorecendo riscos mais elevado de transtornos mentais, como depressão, fobia, estresse pós-traumático, tendência ao suicídio e consumo abusivo de álcool e drogas.Relações abusivas podem favorecera obesidade, síndrome de dor crônica, distúrbios gastrointestinais, fibromialgia, fumo, invalidez, distúrbios ginecológicos, aborto espontâneo e até morte.

Muitas vezes a mulher não sabe que está envolvida em uma relação de violência, pensando que é normal o que acontece, a forma como é tratada, pois muitos gestos de agressão são tão sutis, que não percebe-se a agressão psicológica sofrida. Mas vão se tornando mais frequentes e mais agressivos, e a mulher continua achando que aquilo é normal e que é ela quem não está fazendo as coisas de forma correta, culpando-se. Quando consegue compreender o está acontecendo, pode ser tarde demais, pois já se encontra com marcas físicas e psicológicas do abuso contínuo.

Uma mulher vítima do abuso psicológico, através de acompanhamento psicológico, pode trabalhar seu autoconhecimento, autoconfiança, autoestima, mesmo que antes tenha se submetido a condições de abuso e possua cicatrizes deixadas por anos de submissão e agressão, podendo envolver-se em relacionamentos saudáveis.Sendo importante nesses casos, o apoio familiar e dos amigos, ajudando-a acreditar que pode construir relacionamentos com base no respeito e afeto.

Psicóloga Marisele Souza

Atendimento:

Personal Med – Avenida Getúlio Vargas, 1010, centro, Osório/RS.

Telefone: 51 3148-0101.

WhatsApp: 51 8203 9902.

Comentários

Comentários