Reprodução da vida – Jayme José de Oliveira

A reprodução consiste numa das funções do ser vivo, talvez a mais importante. É responsável pela continuação da vida no planeta. Como os seres vivos não são iguais, os tipos de reprodução se diferenciam também. Alguns meios de reprodução são mais simples e até “rápidos”, outros são mais complexos e demorados.

De protozoários e bactérias ao ser humano, todos se reproduzem, mas de que forma? Foram descobertas recentemente formas fora do padrão, que admite apenas a existência de dois sexos.

O verme “ananema rhodensis” pode apresentar três e o protozoário “tetrahymena thermophila” exagera: pode chegar a sete. Iniciaremos descrevendo os mais correntes, dois sexos isentos de excentricidade, os demais merecerão coluna especial.

A ESSÊNCIA DOS SERES VIVOS

Em todos os seres vivos, o DNA é formado por uma fita dupla composta por 4 bases nitrogenadas: adenina, timina, citosina e guanina que se unem duas a duas e estabelecem a variabilidade dos seres vivos. Chegam a mais de 3 bilhões em cada célula.                                                             Assim como as 26 letras do alfabeto são suficientes para escrever todos os livros do mundo – que usam o alfabeto latino – as bases constituem a essência e TODOS OS SERES VIVOS. Sim, somos construídos TODOS pelo mesmo “barro” citado no Gênesis. Entre o ser humano, um animal, uma árvore e um vírus, a única diferença é o número e disposição das bases que formam o genoma, este sim diferente em cada ser vivo.

Em biologia, o genoma é toda a informação hereditária de um organismo que está codificada em seu DNA. Isto inclui os genes. Podemos compará-lo a uma fita cassete que tem gravada toda uma sequência de imagens, um filme.O gene é um segmento de uma molécula de DNA responsável pelas características herdadas geneticamente e contém um código para produzir uma proteína que desempenha uma função específica no corpo.

Sequências de DNA formam os cromossomos. Cada organismo tem um número peculiar de cromossomos. O ser humano tem 46 (23 da mãe e outros 23 do pai).

TIPOS DE REPRODUÇÃO DA VIDA:

A principal divisão entre os tipos de reprodução é entre a reprodução assexuada e a reprodução sexuada.

Na reprodução assexuada os seres vivos possuem a capacidade de se reproduzirem sem a ajuda de outro da mesma espécie. Não há combinação gênica, já que não há contato entre dois da mesma espécie.

Na reprodução sexuada existe a combinação gênica, esta reprodução abrange a fecundação que permite a variabilidade dos seres vivos. É o meio de reprodução do ser humano, por isso somos uma raça extremamente diversificada. Pressupõe a existência de dois sexos.

Existem apenas dois tipos de reprodução dos seres vivos, porém existem seres (briófitas, pteridófitos e celenterados) que se reproduzem por um meio curioso chamado de metagênese ou alternância de gerações. Esta reprodução possui duas fases, a fase assexuada e a fase sexuada. Ou seja, estas espécies unem os dois tipos de reprodução.

REPRODUÇÃO ASSEXUADA

Divisão binária ou cissiparidade: nesta divisão, o organismo se divide meio a meio e cada metade dele se regenera, formando assim dois descendentes. É o processo utilizado por bactérias, protozoários e leveduras.

Gemulação, gemiparidade ou brotamento: quando aparecem brotos ou gêmulas no organismo (na superfície mesmo) que virão a formar novos organismos, desprendendo-se ou não daquele que o originou.Esse tipo de reprodução é observado em algumas espécies de animais e plantas.

Esporulação: os esporos (que são células reprodutoras assexuadas) são os responsáveis por originar novos organismos, a reprodução se concretiza por meio de esporos, célula especializada que é liberada, e um novo indivíduo se desenvolve quando as condições ambientais são favoráveis. Exemplos: briófitas e fungos.

Partenogênese: quando um óvulo não é fecundado e a partir dele ainda existe um desenvolvimento embrionário que posteriormente irá originar um novo indivíduo. Alguns tipos de vermes, de insetos e uns poucos animais vertebrados, como certas espécies de peixes, de anfíbios, e de répteis, se reproduzem por partenogênese.

REPRODUÇÃO SEXUADA

reprodução sexuada é uma forma de reproduçãoque se realiza por meio da fusão de dois tipos de células reprodutoras especializadas chamadas gametas. Nos animais essas células especializadas são o óvulo e o espermatozoide.

Fecundação ou fertilização, é a forma mais comum de reprodução sexuada, consiste na fusão do gameta masculino com o feminino, formando o zigoto.  A fecundação pode ser externa, quando ocorre fora do corpo, no meio ambiente, ou interna, quando ocorre no corpo do indivíduo que produz os óvulos.

Fecundação Externa

Nesse tipo de fecundação os gametas se fundem fora do corpo da fêmea, no ambiente. Na fecundação externa é preciso que haja água para que os gametas masculinos consigam se deslocar até o feminino. Além disso, é preciso que os machos eliminem grande quantidade de gametas para garantir que eles alcancem os óvulos.

A fertilização externa ou fecundação externa é o processo de fecundação através do qual lança os gametas em um ambiente externo. A fertilização externa é típica de peixes e anfíbios.

Fecundação interna é qualquer forma de fertilização em que os gametas se encontram dentro do corpo de um animal. Nos mamíferos e alguns outros vertebrados envolve copulação, onde o pénis do macho penetra na vagina da fêmea.

Dentre os animais que se reproduzem com fecundação interna, existem 3 formas diferentes do embrião se desenvolver, são elas:

Vivíparos: quando os embriões permanecem dentro do corpo da fêmea sendo nutridos e protegidos pelo corpo materno, são chamados vivíparos. Exemplos: os mamíferoscomo o ser humano, o tamanduá, etc.

Ovíparos: após o óvulo ser fecundado, o embrião se desenvolve dentro de um ovo, que a fêmea deposita no ambiente. O ovo garantirá os nutrientes e proteção para o embrião crescer. Exemplos: aves, como os pinguins e répteis como a tartaruga, entre outros.

Ovovivíparos: se após a fecundação o embrião se formar dentro de um ovo e for mantido dentro do corpo dos progenitores, será chamado ovovivíparo. Exemplo: cavalo-marinho.

Estas são, resumidamente, as diversas maneiras que a VIDA utiliza para se reproduzir. As formas ortodoxas. Outras, muitas, existem e serão explicitadas na próxima coluna. Antecipo que na natureza não existem apenas 2 sexos: masculino e feminino. Animais com 3, até 7 – heterodoxos – ocorrem excepcionalmente. Serão abordados.

Jayme José de Oliveira
cdjaymejo@gmail.com
Cirurgião-dentista aposentado

Comentários

Comentários