Retrospectiva do ano de 2017 – Suely Braga

Suely Braga

Em 2016 houve o golpe, afastando do poder a Presidente eleita com mais de 54 milhões de votos.

Assumiu o governo uma quadrilha de golpistas, um Congresso vendido e uma Corte desconectada da Constituição, tomando atitudes fora das leis, acobertada pela mídia monopolizada. Uma camarilha de togados bem nutridos com polpudos salários se acha acima do bem e do mal.

No ano de 2017 o país foi desmontado, vendido, leiloado e entregue às potências estrangeiras.

O Brasil um país continente poderoso em riquezas, a oitava potência econômica, líder da América Latina, com uma população miscigenada e trabalhadora, respeitado e valorizado no mundo, transformou-se num país desacreditado frente aos países estrangeiros.

Com uma grande recessão econômica, o aumento da desigualdade social, sem educação, sem saúde, sem segurança, sem artes, sem cultura, sem ciências e tecnologia, sem teto, sem terras e sem trabalhos. Há 12 milhões de desempregados atualmente. As políticas sociais foram banidas para estabelecer o Estado Mínimo e pagar a dívida pública. Os bancos e os grandes e ricos empresários são os favorecidos.

Uma burguesia movida pelo racismo fascismo, pelo ódio e pela violência levou o Brasil a um retrocesso da época da escravidão.

Os donos da Casa Grande querem que os escravos voltem às senzalas.

Em 2017 o pais virou num caos e num catastrofismo para o povo, governado por um presidente golpista corrupto sem votos, com o maior índice de rejeição registrado na história política brasileira.

Foi adotado um regime de exceção, uma ditadura civil disfarçada,implementando reformas contra os trabalhadores e a população em geral. A Constituição virou uma colcha de retalhos e o desrespeito aos direitos humanos foi regra institualizada.

O palácio do Planalto e o Congresso que é a casa do povo, foi cercado com muros e cercas de arames farpados. As mobilizações organizadas pelos sindicatos e movimentos sociais foram atingidas pela polícia e o exército, ferindo manifestantes. Só faltaram os tanques nas ruas.

Sem desenvolvimento o país voltou ao mapa da fome e a miséria virou calamidade, principalmente nas regiões mais empobrecidas e abandonadas pelas autoridades governamentais.

O presidente gastou milhões do dinheiro público para comprar votos dos deputados e senadores a fim de se manter no poder.

O que nos espera em 2018? Haverá eleições diretas, ou a quadrilha no poder tentará mudar o regime para Parlamentarista com a intenção de continuar governando? Ou ainda buscará reforço dos militares para retornar à ditadura de 64?

Dia 24 de janeiro dia D para a votação e condenação do ex-presidente Luiz Inácio da Silva(o Lula), em Porto Alegre.

As preliminares já estão mostrando o que poderá acontecer. Juízes proibindo a ocupação do Parque da Harmonia pelo MST. As promessas de multa aos sindicatos e movimentos sociais que promoverem mobilizações e protestos. A mídia golpista já está anunciando e aterrorizando a fim de evitar as organizações e amedrontar o povo.

Comentários

Comentários