A Secretaria Estadual da Saúde recebeu nesta semana a confirmação do primeiro caso de Síndrome Congênita em decorrência de zika vírus contraído no Estado. O caso estava sendo monitorado desde a gestação, quando a mãe, residente em Ijuí, apresentou um quadro da doença.

Após o nascimento, em julho de 2016, a criança passou a ser acompanhada em Santa Rosa e Porto Alegre. Exames clínicos e radiológicos realizados pelo Sistema de Informação sobre Agentes Teratogênicos do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (SIAT/HCPA) mostraram que ela possui alterações compatíveis com a Síndrome Congênita do Zika Vírus. Além disso, o Laboratório Central do Estado (Lacen) confirmou, por testes laboratoriais, que a mãe adquiriu o vírus durante a gestação. Como a paciente não viajou para fora do Estado, o caso é caracterizado como autóctone, isto é, contraído no RS. A criança está recebendo atendimento de reabilitação por meio da Linha de Cuidados da Pessoa com Deficiência.

Até então, o RS apresentava dois casos de Síndrome Congênita associada ao zika, nos municípios de Cachoeira do Sul e Esteio. Em ambos os casos, o vírus havia sido contraído pelas gestantes fora do Estado.

Litoral Norte tem sete municípios Infestados por Aedes aegypti

O Litoral Norte Gaúcho (18ª CRS – Osório) tem 18 casos notificados de Dengue, dois de Zika Vírus e três de Febre de Chikungunya. É o que diz o último boletim informativo epidemiológico divulgado pela Secretaria do Estado do Rio Grande do Sul.

Apesar das notificações, nenhum dos casos ainda foram confirmados.

Sete cidades da região também estão infestadas por Aedes aegypti: Capão da Canoa, Osório, Torres, Tramandaí, Imbé, Cidreira e Santo Antônio da Patrulha.

Comentários

Comentários