Santos Juninos – Dom Jaime Pedro Kohl

No mês de junho, temos as tradicionais festas juninas. Elas existem para comemorar três santos de grande importância: Santo Antônio, dia 13, São João Batista, dia 24, e São Pedro, dia 29. Infelizmente, como muitas outras festas religiosas, as festas juninas são também um pouco desvirtuadas, ficando-se nos acessórios e se esquecendo do principal.

Santo Antônio, o grande herói da fé. Nasceu em Lisboa, chamava-se Fernando, foi cônego da Ordem da Cruz e entrou, pelo desejo do martírio, na Ordem Franciscana, tomando o nome de Antônio. Foi grande pregador, recebendo os apelidos de “Doutor Evangélico” e “martelo dos hereges”. É o santo dos milagres, tal a quantidade de fatos extraordinários e sobrenaturais que acompanhavam a sua pregação. Sua língua está miraculosamente conservada em Pádua, há mais de 700 anos. Para os italianos é o Santo. Continua dando sinais de sua santidade ainda hoje.

São Pedro, apóstolo de Jesus, por ele escolhido para chefe do colégio apostólico e da sociedade hierárquica visível que ele fundaria, a Igreja. Pescador do mar da Galileia foi por Jesus transformado em pescador de homens. Após ter chorado o seu pecado de negação do Mestre, foi por ele consagrado seu vigário aqui na terra. São Pedro fundou a Igreja de Roma, da qual foi o primeiro bispo. Seu sucessor é o Papa, bispo de Roma.

São João Batista foi o precursor de Jesus, aquele que o apresentou ao povo de Israel. Foi santificado ainda no seio materno quando da visita de Nossa Senhora, já grávida do Menino Jesus. Por isso a Igreja festeja o seu nascimento no dia 24 e não a sua morte.

 Desde criança, retirou-se para o deserto para fazer penitência e se preparar para sua futura missão. Ministrava ao povo o batismo de penitência, ao qual Jesus também acorreu, por humildade.

Homem da verdade não fazia acepção de pessoas. Por isso admoestava o Rei Herodes contra o seu pecado de infidelidade conjugal e incesto, o que atraiu a ira da amante do rei, Herodíades, que instigou o rei a metê-lo no cárcere.

No dia do aniversário de Herodes, a filha da amante pediu a cabeça de João Batista. Foi decapitado na prisão, merecendo o elogio de Jesus, por ser um homem firme e não uma cana agitada pelo vento: “Entre os nascidos de mulher não apareceu ninguém igual a João Batista”.

Olhando para esses três ícones de santos, deixemo-nos edificar e interpelar por suas virtudes e exemplo.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório

Comentários

Comentários