Senhor, dá-me dessa água… – Dom Jaime Pedro Kohl

domNo evangelho que escutamos neste domingo, Jesus garante: “quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede. E a água, que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna”. Isso fez a samaritana suplicar: “Senhor dá-me dessa água que tu tens!”

A atitude de Jesusde ir ao encontro da samaritana sem discriminar, incluindo e valorizando a pessoa com sua realidade própria é um primeiro ensinamento.Essa atitude constante da vida de Jesus, deveria ser também a nossa.

O sistema religioso do templo de Jerusalém excluía os samaritanos como um povo impuro e marginalizado. Jesus, mesmo que os discípulos peçam de fazer descer fogo, os valoriza e a eles se revela.Na maior simplicidade diz à mulher que tem diante de si: “O Messias, sou eu que estou falando contigo!”

Para a tradição judaica, o poço representa a garantia da água oferecida por Deus ao povo.Jesus ao sentar-se junto ao poço está revelando que agora o poço da água viva é ele. E quem O acolhe encontra o sentido mais profundo da vida, qual fonte de água cristalina que jorra para a vida eterna.

Esse encontro transformou a vida da samaritana e como por contágio também dos samaritanos. O verdadeiro encontro com Jesus renova a vida das pessoas e as provoca a saírem de si e ir ao encontro dos outros.

 E onde O podemos encontrar, hoje? Junto a qual poço?

         Várias podem ser as formas. Uma primeira pode ser o encontro com alguém que dá testemunho por uma vida iluminada pela fé em Jesus.

         Porque não,numa celebração da Palavra, onde sua proclamação pode impactar a vida de quem está a escutar, tocando o coração e gerando uma vontade sincera de seguir Jesus numa fé prática?

         Uma convivência fraterna animada pela gratuidade e acolhida de todos.

Um gestode amor verdadeiro que socorre e ajuda sem esperar retribuição.

Uma leitura e meditação pessoal da Sagrada Escritura ou de algum texto de espiritualidade.

 A participação num encontro dos Grupos de Famílias ou de Casais ou de jovens. O aspecto comunitário é o mais propício para vivenciar o encontro com Cristo.

         Como a samaritana que tinha suas crenças e convicções de fé, no encontro com Jesus descobriu que era preciso dar um passo a frente:abandonar os “maridos” da idolatria para adorar o Pai em espírito e verdade.  Devemos estar abertos a fazer o mesmo.

“Senhor, dá-me dessa água...!”

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório

Comentários

Comentários