TRF4 mantém ação de improbidade administrativa contra ex-prefeito de Capão da Canoa

O ex-prefeito de Capão da Canoa (RS) Valdomiro de Matos Novaski, que exerceu o mandato entre 2012 e 2016, e os ex-secretários Luís Roberto Treptow da Rocha, de Meio Ambiente e Planejamento, e Joel de Matos Novaski responderão ação de improbidade administrativa por terem promovido as obras de revitalização do calçadão de Capão da Canoa sem processo de licenciamento ambiental. A 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou, na última semana, recursos dos réus, que pediam a suspensão do processo.

Eles foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) em agosto do ano passado. A 1ª Vara Federal de Capão da Canoa acolheu a denúncia e os três recorreram ao tribunal.

Eles alegam que a eventual descaracterização do ambiente natural e a perda da função ecológica da antiga área de preservação permanente não advém desta obra efetivada em 2015, mas em razão de situação já consolidada.

Segundo o relator, desembargador federal Luís Alberto d’Azevedo Aurvalle, “os elementos de prova disponíveis – especialmente o inquérito civil – dão conta da existência de indícios e irregularidades nos procedimentos realizados pelos requeridos quando da implantação do projeto de calçadão na beira-mar do município de Capão da Canoa, sendo suficientes ao processamento da ação, na medida em que, na presente fase, vigora o princípio in dubio pro societate”.

A decisão do colegiado confirmou decisão liminar do relator, proferida em agosto deste ano, que já havia negado a suspensão do processo.

TRF 4

Comentários

Comentários