Tudo depende – Jayme José de Oliveira

Jayme José de Oliveira

O Brasil se encontra numa encruzilhada e não sabe o caminho a seguir. O futuro das próximas gerações depende das decisões que tomarmos agora. O busílis da questão é que não se tem opinião formada para NENHUMA das situações que se apresentam. Os mesmos fatos ou situações são encarados conforme o interesse que apresentam no momento pelos mesmos figurantes. Sim, somos a favor ou contra os MESMOS fatos, de acordo com as CONVENIÊNCIAS do momento.

Quem apresenta um projeto de reforma da Previdência, por exemplo, assim que o poder passa para o adversário se empenha em combatê-la. FEROZMENTE.

Em 07/01/2016 a presidente Dilma Rousseff, em um café com jornalistas no Palácio do Planalto, afirmou que o país vai ter que “encarar” uma reforma da Previdência Social. Entre os itens alvitrados: Idade mínima para a aposentadoria (não é possível que a idade média da aposentadoria seja 55 anos). Terá que ser também considerado o tempo mínimo de contribuição. Em 15/02/2016) criou a Previdência Complementar dos Servidores Públicos, equalizando com o teto da Previdência Social. TERÁ VIGÊNCIA APENAS PARA OS QUE FOREM ADMITIDOS A PARTIR DESSA DATA.

O presidente Luís Inácio Lula da Silva sancionou sem vetos (04/06/2006) a lei que impede a candidatura DE POLÍTICOS COM CONDENAÇÃO NA JUSTIÇA POR DECISÃO DE UM COLEGIADO (2ª INSTÂNCIA), informou fonte da Casa Civil. Hoje…

ÉlioGaspari, conceituado jornalista escreveu para o Correio do Povo (25/03/2018): “Em 1994 o ex-presidente Lula atravessou o RS num ônibus sem que houvesse um incidente sequer. Tinha a proteção de dois seguranças petistas.

Lula chegava a uma cidade, reunia-se com fazendeiros eempresários, ia para a praça e discursava. Se o público não esquentava, dizia que LUGAR DE POLÍTICOLADRÃO É NA CADEIA. Pedia o confisco dos bens do ex-presidente Fernando Collor. O PT pedia notas fiscais de todas as despesas.

Mudaram Lula, o Brasil e os adversários. Agora os manifestantes hostis são uma “milícia fascista”. A partir de um certo momento a caravana foi protegida por uma patrulha do MST. Em julho de 2003 um grupo de militantes do PSTU foi protestar diante do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo contra a reforma da Previdência de Lula. Apanharam e o técnico judiciário Antônio Carlos Correia teve o nariz fraturado. Segundo ele, foram os “pit bulls petistas”. Agora, o PT luta contra a reforma da Previdência de Temer. Lula e os adversários mudaram para pior”.

Paulo Paim e a voz das ruas – (Zero Hora, 28/03/2018): “A Constituição diz que a liberdade de pensamento e expressão e o direito de ir e vir estão garantidos a todos os brasileiros, sem distinção alguma. Desrespeitar esses preceitos é calar a voz das ruas”.

Repito: “O direito de ir e vir está garantido a todos os brasileiros, sem distinção alguma”. Quando “a voz das ruas” obstrui ruas e que tais, está impedindo que não manifestantes exerçam o sagrado direito de locomoção. O direito vale apenas para os “tranca-ruas”?

Vale a pena lembrar o escritor Mark Twain“Em questão de Estado, cuide das formalidades e pode esquecer a moralidade”.

Jayme José de Oliveira
cdjaymejo@gmail.com
Cirurgião-dentista aposentado

Comentários

Comentários