Vereador cobra executivo de Palmares: “Cadê o planejamento?”

Polon - TribunaO vereador Polon Oliveira (PTB), de Palmares do Sul, voltou a cobrar fortemente o Executivo Municipal com relação às deficiências com que se encontra o Município; especialmente nas áreas da Educação e Saúde no distrito de Quintão. Da mesma forma, protocolou pedidos de informações e providências para que a Prefeitura execute medidas a fim de solucionar os problemas.

Em tribuna, Polon lembrou que no dia 1º de janeiro o prefeito prometeu atendimento 24 horas no Posto de Saúde de Quintão. “Disse que independente de qualquer coisa, esse ano ele iria manter o Posto 24 horas. Recebemos na semana passada um projeto para a prorrogação da Operação Verão no Quintão até dia 31 de março. O ano não acaba em 31 de março, mas sim em 31 de dezembro. Por que não foi enviado pelo Executivo um projeto de 24 horas para o ano inteiro? Por que não foi nomeado um médico para atender no Posto de Saúde de Quintão? Hoje, o Executivo nos apresenta um projeto para aprovar 'a toque de caixa'”, protestou o vereador.

Ele afirma que Quintão vem sendo prejudicado pela atual administração há quatro anos. “Só temos 24 horas no verão. No inverno, o povo de Quintão é atendido em Balneário Pinhal. Quintão clama pelo Posto 24 horas. As pessoas morrem por não ter este atendimento. E o que o Executivo nos traz é uma proposta de 30 dias. O Município é obrigado a ter atendimento 24 horas. Querem apenas prorrogar um contrato para cumprir a legislação. Esse projeto é para tapar um furo que não é nosso. Cadê o planejamento? No mês passado não sabiam?”, continuou.

Preocupado também com a área da Educação, Polon lamentou que neste início de ano letivo já recebeu diversas ligações devido à falta de professores e falta de transporte em Quintão. “Recebi também uma mensagem irônica dizendo 'muito obrigado por não fazer nada'. Só que quem muito nos critica não nos acompanha. Eu venho cobrando, tenho no mínimo cinco pedidos de informações sobre quando serão chamados os aprovados no concurso público. Muitos nem recebi resposta. Lamentavelmente, o candidato é aprovado em concurso e se depara, assim como nós, que recebemos aqui em janeiro, com um projeto de contratação emergencial; e a Prefeitura não chama os aprovados. Começaram um processo lento, mas continua faltando professores nas escolas. O concurso foi para estancar o problema da nossa educação ou só para arrecadar? Infelizmente, um auxiliar de educação, sem a devida qualificação, está assumindo turma para dar aula porque o Executivo não nomeia os concursados. Quanto ao transporte, o pessoal não tem dinheiro para pagar particular. Peço mais uma vez providências do Executivo Municipal para que comece as nomeações dos aprovados, não só na área da educação, mas na área da saúde, dos tributos, em todas. Que se exonere alguns CCs e se nomeie os concursados”, enfatiza.

Diego Di Luca

Comentários

Comentários