Vigilância Sanitária alerta para risco de epidemia de dengue em Osório

Entre janeiro em a data de hoje, a Vigilância Sanitária Ambiental de Osório identificou 46 focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue através da picada da fêmea. Na cidade, os focos identificados pelos agentes tem crescido de forma assustadora, sendo 13 no bairro Sulbrasileiro, 10 no Glória, 11 no Centro, nove no Caravágio, um no Parque Real, um no Albatroz e um no Medianeira (Primavera).

A médica veterinária da Vigilância Sanitária e Ambiental do município, Anne Marth, destaca que os bairros mais populosos da cidade estão com maior risco da presença do Aedes aegipty e se isso não for revertido com rapidez, tendo a ajuda da comunidade, Osório poderá entrar em risco de epidemia de dengue.

Não existem vacinas que previnam essa doença, por isso é necessário o controle dos mosquitos. “Precisamos da ajuda 100% da comunidade e que os moradores atendam os agentes de combate a endemias. É a primeira vez que o município apresenta 46 focos em um período curto, isso representa quase a totalidade de bairros da cidade. Solicitamos que cuidem de suas casas, de seus jardins, piscinas, é necessário que pelo menos uma vez por semana, façam revisão, incluindo vasos, garrafas pets, potes, calhas e caixa d´água.

Anne atribui a falta de cuidados à despreocupação com a doença. “Sempre acham que isso não vai acontecer aqui, que é problema só de Porto Alegre e cidades maiores. O litoral foi a última região a ter a entrada do mosquito mas como temos muitas casas fechadas, de veraneio, o trabalho dos agentes públicos é prejudicado. Por isso esperamos contar mais com a população que sempre espera tudo da Prefeitura e que neste, caso urgente, deve agir e também fazer sua parte. Há caso de pessoas que não tratam a piscina, por exemplo”, destacou Anne.

Atenção

* Verifique vasos de flor e plantas que acumulam água. As plantadas na terra devem ter suas folhas furadas para evitar acúmulo de água. O pratinho do vaso de flores deve ser eliminado.

* Pote de água dos cães devem ser lavados para evitar a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti. Ao trocar água é preciso lavar o recipiente. Pneus devem ser descartados na Usina de Reciclagem ou na Central de Transbordo.

Para fazer denúncias e reclamações na Vigilância Sanitária e Ambiental ligue para os telefones: 3601-3315 e 3601-3316

Colabore com a ação dos 14 agentes de endemias e os 52 Agente Comunitários de Saúde que fazem o trabalho de cuidados e conscientização.

Jogue limpo com Osório e contra a dengue, você também.

Todos contra o mosquito do Aedes aegypti.

Comentários

Comentários